quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Pensamentos Dispersos: cada vez menos fé na humanidade

O bronco e o tapado vive em estado de permanente inveja.

Quando falamos em extremistas religiosos a imagem que nos vem logo à cabeça é deu um tipo barbudo do médio oriente. Enganam-se. Hoje ouvi uma conversa muito curiosa de duas senhoras que usavam o uniforme nacional de viúva devota e cheguei a uma conclusão: as pessoas que vêm pecado em todo o lado é doente da alma, se querem que vos diga, dos intestinos. A condição básica do beato é a prisão de ventre crónica.

Aquele indivíduo que aparece nos anúncios do Pingo Doce a sorrir demonstra-me um estado de imbecilidade que a lesma já ultrapassou lá para o Plistocénico.

Este mundo não será destruído por uma bomba atómica. Morrerá de riso, de banalidade. Fazendo uma piada de tudo, e aliás, uma piada sem graça.

Como nos ensinou Freud, a mulher deseja o contrário daquilo que pensa ou declara, o que, bem vistas as coisas, não é assim tão terrível, porque nós homens, como nos ensinou o Calino, obedece em contrapartida aos ditames do aparelho genital ou digestivo.

Cada vez aprecio mais as pessoas malvadas. Maldade, malvadez, mesquinhês. Mas não imbecilidade. O imbecil ou bruto não pára para pensar nem para raciocinar. O mal pressupõe uma determinação moral, intenção e um certo pensamento. O imbecil age por instinto, como animal de estábulo, convencido de que está a fazer o bem, de que tem sempre razão, e orgulhoso por andar a lixar todo aquele que se lhe afigura diferente dele próprio, seja na cor, na crença, no idioma, na nacionalidade ou nos hábitos de lazer. O que é preciso neste mundo é mais gente verdadeiramente má e menos casmurros limítrofes.

1 comentário:

Trambolho ao Postigo disse...

Já a pensar nas presidenciais?

Os anúncios do pingo doce que antes eram elitistas (tipo ai somos tão chiques!) agora são para os pobrezinhos e por isso falam como se estivessem a falar com crianças de 2 anos que beberam leite com xanax.

Quanto ao moralismo pouco ético-religioso das viúvas negras, posso dizer que se não conseguir arranjar casa antes do verão tenho duas vizinhas que vão aparecer mortas por causas naturalmente infligidas por mim. Raio das velhas, uma no outro dia quase caíu para dentro da minha casa, pois estava com o ouvido colado à porta. Acho que sabem mais sobre a minha vida do que eu.

Quanto aos desejos das mulheres não são mais complexos que os dos homens, mas séculos de cultura religiosa em cima dão nisto.