terça-feira, 30 de dezembro de 2008

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Natal!


Há mais ou menos uma semana, liguei a t.v. e que vislumbram os meus olhos? O velhinho Natal dos Hospitais.
Uma quantidade assombrosa de novos talentos musicáis e outros já bem conhecidos a fazer playback para uma enorme quantidade de gente vestidada de branco com a algália na mão.
É bom ver que há coisas que, mesmo que passem muitos anos, continuam na mesma.
Deprimente Q.B.

PS- Feliz Kwanza!!

domingo, 21 de dezembro de 2008

Fava

O homem do chapéu axadrezado estava parado encostado à arvore, fazendo rolar um borrié parcialmente endurecido entre o polegar e o indicador. Momentos depois, o burrié estava completamente seco. Afastou-se da árvore a paço decidido. Entrou na pastelaria onde trabalhava desde novo. Passou casualmente pela cozinha e lançou o burrié para dentro da massa para bolo rei.

Ps- Alguém me explica porque raio há um novo anúncio de um azeite em que aparece um casal a desenhar uma carpa koi com azeite porque aquelas novas garrafas têm não-sei-o-quê que até dá para desenhar? Normalmente quando quero desenhar, uso lápis, canetas, aguarelas ou outra coisa dessas. Pensei que o azeite era bom para refogados ou saladas.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Pai Natal Paulo Pires albino


Porque o Natal é muito mais do que comida, é também muita estupidez, aqui fica uma montra que vi hoje e que tive a felicidade de fotografar.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Não é o chefe Silva...

Jacinto tinha acabado de soltar três traques quentes, fedorentos e parcialmente liquidos e estava agora a aplicar todas as suas forças para sugar do fundo da cavidade nasal um bocado de ranho endurecido que parecia do tamanho de um feto humano. Sem ligar à caca de cão que tinha amontoada debaixo das unhas há mais de uma semana, enfiou a unha do mindinho entre os dentes e retirou um bocado de comida semi-digerida, engoliu-a outra vez e continuou a fazer o almoço para os miudos do infantário onde trabalhava.

sábado, 29 de novembro de 2008

Tem apenas mais uma hipótese para digitar o seu código. Caso contrário sairá um monstro verde da máquina que lançará um muco castanho repleto de vermes para cima da sua única roupa decente e que ainda não tem uma única nódoa ou marca de tinta acrílica ou ainda não parece um pano de limpar o pó de tanto uso e de tanta lavagem e secagem.
Há anos que tenho o mesmo código, mas por vezes dá-me umas brancas assim para o embaraçoso tipo toda a fila do supermercado a olhar para mim e a odiar-me por estar a gastar mais do que 30 segundos a fazer o pagamento.
Uma decisão imediata: preciso de comprar roupa, antes que a que tenho vestida se desintegre.
1º passo ir a lojas de roupa.
2º passo entrar em lojas de roupa
- Bom dia! Podia dizer-me qual é o preço daquela peça que está na montra?
Olhar de alto a baixo.
- Ah é muito cara.
Cá por dentro: A sério? E é cara para quem minha querida?
- Nesse caso muito bom dia e obrigada pela atenção.
Não é a primeira vez e tenho a certeza que não será a última que me acontece. Alguma coisa me diz que esta senhora não é muito boa comerciante. Mas isto sou eu que sou preconceituosa e fiquei a pensar isto logo na primeira frase que me disse.
Claro que perdeu uma potencial cliente.
3º e último passo - Catálogos. Uma das grandes invenções do século passado. Poupa-se tempo, dinheiro e parvoíces pelo meio.

domingo, 23 de novembro de 2008

A Sandíada

Hoje fiz a minha primeira grande viagem a conduzir.
Desde o ninho da passarada até Évora.- Só hoje? Indagam-se vocês. Sim. Só hoje. Porque foi ontem que me ofereceram um carro. Ofereceram? Sim. Porque, muito sinceramente, embora tenha carta, não tinha o mínimo interesse de conduzir. Sempre me ví no lugar de pendura. Tu conduzes e eu olho aqui prá paisagem. Sempre foi esse o meu modo de vida durante muitos anos, e, digamos, sempre me deu muitas vantagens. Especialmente relacionadas com beber e não conduzir.
Mas tudo o que é bom tem um fim.
Enquanto fazia a minha viagem, qual epopeia homérica, até apreciei certas coisas.
O modo consciente como muitos condutores agem ao volante de algo que tenha motor e consuma carburantes; o barulho que os gatos fazem quando tentam parar o meu bólide com a cabeça; e, especialmente, o modo como damos a volta a tantas regras de trânsito. Eu, da minha parte, lavo dai as mãos. Criei muitas coisas. Inclusive as cores do espectro solar à excepção do rosa. O rosa foi inventado pelo Cláudio Ramos.
A partir de hoje, garanto-vos algo: cada vez que o Papão se for deitar, vai espreitar para baixo da cama para ver se não estou lá.
De carro.
O boato é uma cena tipo ya assim para o coiso.
Há uns anos estive grávida. Como é que eu soube?
- Então estás grávida?
Eu - Não foi da feijoada do almoço
- Não a sério a não sei quantas disse-me que estavas grávida.
- Ah, então é porque devo estar.
Passado uns meses
Trim (som do telemovel a tocar)
- Tou!
- Estás bem? - voz aflita
- Sim tudo bem e tu?
- Mas estás mesmo bem?
- Estou óptima vou agora jantar a casa dos coisos.
- Mas...
- O que é que se passa?
- O teu pai está bem?
- Está, mas porquê, tu nem sequer conheces o meu pai.
- É que o pessoal estava a dizer que tu estás muita mal porque o teu pai está doente no hospital.
Depois contou-me todos os pormenores da doença prolongada e terminal do meu pai.
Tipo ok que cena se se diz por aí é porque é verdade!

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

6 meses

Jorge Gabriel - 6 meses sem apresentar qualquer programa
Micael Carreira - 6 meses sem mostrar o peito
Margarida Rebelo Pinto - 6 meses sem publicar
Tim - 6 meses sem cantar
Patos bravos - 6 meses sem destruir
Galp - 6 meses sem variações nos preços
José Socrates - 6 meses sem tentar vender o Fernão
Lili Caneças - 6 meses sem botox
Manuela Ferreira Leite - 6 meses sem falar
Isto sim seria uma grande melhoria

segunda-feira, 17 de novembro de 2008



Penso que já falei aqui da minha admiração por Filipe Melo. Pois está a crescer. É um dos realizadores do Mundo Catita que vai estrear dia 23 na RTP2. Ontem foi apresentado o making off e UAU!!!

domingo, 16 de novembro de 2008


"Pela estrada fora eu vou bem sózinha levar bolinhos à minha avózinha, ela mora longe o caminho é deserto e o lobo mau anda aqui tão perto". Era isto que estava a cantar na minha cabeça, quando o homem que ía à minha frente no passeio faz aquele som pré-escarro. Não me franzo toda, nem penso ai que nojo porque há coisas piores. Desta vez não tive que me desviar de gosma, mas de sangue. Estava prestes a gritar: oh senhor, oh senhor olhe que deixou parte de si para trás, mas como o homem estava a tapar a boca percebi que sabia. Não era preciso informá-lo. Mas o que é que ele estava a evitar que fugisse? A última coisa que pensei foi: E se ele fôr o lobo mau?

quinta-feira, 13 de novembro de 2008


É impressão minha ou Isto é parecido com isto?

Estava a ouvir rádio e a pensar: Finalmente uma música do Palma sem ser a porra do Encosta-te a mim. E depois surge o All summer long. Sorri, afinal também a minha memória musical está a enfraquecer. Mas caramba aquilo andou-me às voltas na cabeça e fui ouvir a Rosa Branca. Continuo a achá-las muito semelhantes...

quarta-feira, 12 de novembro de 2008



Prometo que não vou falar mais disto, mas agora não resisto. Como é óbvio a demissão de Maria de Lurdes Rodrigues nunca esteve tão próxima. Só não foi encarreirada com os outros há dois anos porque desconfio que a sua demissão será usada como trunfo pré-eleitoral. O seu discurso arrogante cheira-me a ordens do género: Oh Lurdes não podes voltar atrás, olha a estatísticas. É claro que os professores têm que ser avaliados, nem é isso que está em questão, embora seja disso que se fale mais. Mas este sistema não é democrático. Quem avalia não é eleito entre os seus pares, o que significa que em muitos casos não será a melhor pessoa a fazer essa avaliação. O ambiente de trabalho que se está a gerar nas escolas pode ser muita coisa menos tranquilo. O essencial fica para trás. Eu quero bons professores nas escolas, mas eles já lá existem, este sistema não permite que professores jovens e excelentes ultrapassem professores mais velhos e medíocres. É por isso que, para mim, os sistemas que se baseiam em quotas dificilmente darão bons resultados.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Carregas e BUUUM!

O Obama ganhou as presidenciais, o Benfica levou duas na pá, o BPN vai ser nacionalizado…

São sem sombra de dúvida noticias que nos despertam a atenção mas não mais do que uma que lí há pouco tempo: a Al-Qaeda anda com falta de pessoal.

Anda com falta de pessoal para se fazer explodir, entenda-se.

É o mesmo de sempre: trabalho há, emprego é que nem por isso. E como a crise atinge tudo e todos, a rede do Osama lançou um anúncio virtual. Salário: setenta e duas virgens paradisíacas.

A coisa assusta-me deveras. E mais do que assustar, intriga-me. Assusta porque setenta e duas virgens deveriam ser o pesadelo de qualquer homem. E garanto que qualquer homem que diga o contrário só pode ser uma coisa: Parvo. E intriga-me porque tento imaginar a entrevista de emprego com o chefe da fanfarra e a coisa resume-se a dois segundos: «O senhor tem experiência no ramo?» «Nenhuma.» «Óptimo. Está contratado.»

Trabalhar como bombista suicida deve ser a única profissão no mundo que dispensa habilitações literárias ou currículos, o sonho de qualquer sociedade democrática e igualitária.

Anotem ai camaradas!

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

MUDANÇA


O mundo festeja! E é mesmo o mundo! Há uns dias alguém me dizia: se ele ganhar acho que vou chorar. O meu cinismo não me permite esse tipo de emoções. Ele é político e é americano. ELE TINHA QUE GANHAR! Que esperança se poderia ter se assim não fosse?
Esperemos que a sua política externa não seja um desastre. Esperemos que o reforço militar que quer para o Afeganistão não traga consequências ainda piores, para esse país e para o resto do mundo. A retirada do Iraque em 16 meses ou amanhã não fará diferença. O Iraque está destruído, as pessoas abandonadas a políticos corruptos, religiosos extremistas e a um futuro já habitual nestes casos.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Compensa o crime?

Há alguém de quem não ouço falar há um monte de tempo.

É a tal coisa. Teve os quinze minutos de fama a que tinha direito e depois desapareceu como aquelas One-hit Bands. Ao melhor estilo dos Soul Asylum ou Zé Cabra. Quinze minutinhos e acabou-se. Caput!

Estou a falar do Osama.

Segundo uma antiga noticia com uns cinco anos, Bin Laden faltou à reunião de antigo alunos no liceu saudita que frequentou nos seus anos imberbes quando atava bombinhas de Carnaval aos gatos da sua rua.

É fácil imaginar: noite de gala, Abdul e Amina, colegas de Osama e namoradinhos na adolescência, com o rebento (salvo seja) que nasceu há nove meses e já completamente infiltrados no submundo da máfia da fralda.

E alguem pergunta no grupo: e que é feito do Osaminha?Aquele grande doido? E O Osaminha enfiado numa gruta escura e húmida, febril e acossado. E tudo porque a Amina lhe deu tampa e escolheu o Abdul no baile de finalistas deixando-o abandonado num canto a ruminar vingança contra os camelos, aviões e humanidade em geral.

O que é certo é que desde tenra idade, os maiores lunáticos e facínoras da história sofreram algum trauma pessoal que, cedo ou tarde, é extrapolado cá para fora. Hitler, por exemplo, falhou como artista plástico e rapidamente substituiu pastel e aguarela por seres humanos. Diz-se que o tipo que ocupou o lugar dele na escola de belas artes nunca mais foi o mesmo. Sempre aquele peso na consciência. E acredito que seja bem maior do que deixar umas pinguinhas de urina no tampo da sanita de um amigo, e, logo ao sair, darmos de cara com uma rapariga gira que lá quer entrar para também se aliviar.

Ok. Divago. Vou voltar ao que interessa.

Ao imaginar a noite em que a antiga turma de Osama se reuniu para mostrar o que o futuro lhes tinha reservado, rir, beber (chá) e contar piadas enquanto saboreiam um shishquebab de borrego, Osama não esteve lá. Estava longe. Bem longe enfiado numa caverna escura, fria e húmida. Mesmo com a cabeça a prémio, não lhe faltaram forças para, taciturnamente, mastigar uma hambúrguer.

De camelo.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

"Se achas que a educação sai cara, experimenta a ignorância"

O maior desgosto que as minhas sobrinhas me poderiam dar na adolescência seria transformarem-se em Marronas. Por mim podem ser góticas sacrificadoras de galinhas, dreds, cools, podem drogar-se e roubar à vontade, podem até ser mães aos 13 anos que eu acho muito bem. Mas ratos de biblioteca???? Passar todos os anos sem ser por favor. Preferir ler do que fumar ganzas atrás do polivalente? Pior mesmo só se disserem: "Gosto muito das aulas de matemática e de filosofia". A vergonha que eu teria de suportar cada vez que alguém me dissesse o meu filho passou com 6 negativas e as tuas sobrinhas? E eu muito baixinho ter que dizer: Também passaram, omitindo as boas notas, todas positivas. Mas se tudo correr bem aos 15 anos lerão como se tivessem 6. E nas aulas de história quando o professor falar em Vasco da Gama dirão que é uma ponte que atravessa o Rio Tâmega.

sábado, 18 de outubro de 2008

Ena...

Não é costume meu escrever os devaneios neste blog ao fim de semana, e, até ultimamente, é até raro escrever durante esta. No entanto, algo me faz quebrar tal acto de rotina.

Paulo Coelho vendeu hoje o seu 100 000 000º livro e tal facto foi motivo para uma enorme festa numa cidade qualquer da Alemanha!

Mas que bom...

É fantástico como surgem mercados paralelos em tudo o que seja negócio que dê lucro. Criaram-se carros movidos a gasolina. Criaram-se bombas de combustível, os árabes tornaram-se milionários. Criaram-se auto-estradas para viagens de longa distância, criaram-se restaurantes nas bombas de serviço que vendem um tipo de fast-food à portuguesa como é a típica sandes de omolete, pastéis de bacalhau ou rissóis de camarão. Como é óbvio, e a ASAE trabalha há pouco tempo, para muitos destes restaurantes, salmonela era ingrediente essencial em qualquer prato que se prezasse.

Dai, surgiram enormes casas de banho nas áreas de serviço para miúdos e graúdos. Mas e que fazer com tanto tempo dispensado na casa de banho a olhar para as tão célebres frases que decoram as portas destes pequenos cubículos de trono de porcelana? Qual Batman a salvar Gotham City em perigo do ataque eminente do Joker, Paulo Coelho e os seus livros salvam qualquer leitor da cólica intestinal, flatulência ou diarreia explosiva.

Urra...

Fica então aqui uma breve lista dos produtos mais vendidos numa destas estações de serviço.



1º- Papel Higiénico Scottex Folha Dupla acolchoada,

2º-O Alquimista,

3º-24 Horas,

4º-Imodium Forte,

5º-Pastilhas Rennie,

6º-Margarida Rebelo Pinto insuflável,

7º-Caras,

8º-Borda d'água,

9º-Pastilhas Super Gorila,

10º-CD Graciano Saga “Vai devagar imigrante por amor de Deus”.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Em busca da solução perdida



Penso que não será assim que se vai encontrar a solução, mas Arquimedes eurequizou dentro de uma banheira, e estava sózinho.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Vão mas é telefonar ao Ghandi

Ultimamente, sou bombardeado por dia com uma quantidade alarmante de chamadas telefónicas, que inclusive, já me acabaram com a vontade de sair de casa com telemóvel. São chamadas de bancos a ver se quero aderir ao cartão não sei quê, da MEO para saberem porquê desisti do plano Coiso deles e etc…
Mas há uma coisa que me diverte: o modo como falam comigo é completamente diferente das vezes em que sou eu que lhes telefono. Sinceridade. É esse o cerne da questão.
Falando de falta de sinceridade, não nos esqueçamos dos disparates que os telefonistas são obrigados a dizer por ordem dos imbecis dos patrões. E sem esquecer, claro, que os telefonistas são e não são telefonistas. São “assistentes”. “Assistentes de atendimento telefónico”. Ou “assistentes de atendimento remoto”. Também já ouvi quem lhes chamasse “facilitadores de comunicação” e “técnicos de atendimento ao cliente”.
Adiante. Os telefonistas quando nos ligam, parece que são personificações de dois litros de mel com um quilo de açúcar e algum chocolate à mistura. São tão doces que até enjoam especialmente se nos querem impingir isto ou aquilo e sempre a agradecerem pelo inconveniente do telefonema naquela hora em que estávamos no trono de porcelana a ler o 24 Horas, a ter dois dedos de conversa com a vizinha ou na altura em que estávamos distraídos a ver as Tardes da Júlia. No entanto, quando somos nós que telefonamos, esperamos uma eternidade para que nos atendam, mais outra para que nos direccionem para outro apoio técnico qualquer enquanto nos falam de forma carrancuda.
No fim, dizem-nos: muito obrigado pela sua chamada.
Soa delicado não soa? Mas não é sincero.
Quando me telefonam eu resolvo a coisa rapidamente. De bom modo, de mau modo ou do modo Sandes que é igual ao mau mas mais rápido.
«Estou sim? Aqui é Juvenilda Ramos do Banco de coiso e tal….» «AGORA NÃO. BOA TARDE».

Saltos Altos



"As mulheres ficam com as pernas mais bonitas e com os rabos mais proeminentes se usarem sapatos de saltos altos"
Esta generalização, como em geral todas, erra, pois, dependerá das pernas e das nádegas da utilizadora das ditas andas.
Os sapatos de salto surgiram por uma questão prática - para não sujar as bainhas das saias nas ruas lamacentas. No entanto perduraram, apesar das ruas serem pavimentadas e das saias bem mais curtas.
Quanto a mim recorri a este tipo de escadote quando amigos decidiram casar (talvez daí parte do meu ódio por casamentos, um reflexo pavloviano do desconforto de usar esses sapatos).
Acho que não são maus para usar no conforto da alcova como estímulo visual, mas de resto acho uma parvoíce as mulheres arriscarem-se na calçada portuguesa. A imagem que me vem à cabeça quando vejo aqueles andares estranhos é de alguém a evitar um campo de minas.

domingo, 12 de outubro de 2008

My name is Earl



Divirto-me com este bando de idiotas sentimentais, marginais e disfuncionais. Agora tem dado por voltas das 20.40h na RTP2 (devia ganhar qualquer coisa com a publicidade que faço a este canal...)

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

A cosanostra do pó talco

Há algo estranho que reparei este verão. Uma coisa tenebrosa. Sombria. Como uma máfia ou uma organização secreta ao mais alto estilo, fazendo parecer as sociedades secretas de que o Dan Brown retrata nos seus livros semelhantes a um rancho coral alentejano ou um grupo de pasteleiros de bolinhas de Berlim. À vista de todos mas escondida sob uma ténue capa de algodão a cheirar a colónia para bebés.
Algo relacionado aos casais que tenham filhos recém-nascidos ou bebés. É como se de uma irmandade secreta se tratasse. É fantástico ver como de um momento para o outro, mesmo que só se conheçam de vista, se tornem grandes amigos, confidentes de estórias de chucha, de cronologias de mudanças de fralda ou da baritonidade dos berreiros nocturnos. Mas é mesmo impressionante. Basta dois destes casais se sentarem numa mesa de café para que, rapidamente, todos os casais com bebés rapidamente das proximidades se sentem na mesma mesa, e, de um momento para o outro, a esplanada encontra-se lotada por carrinhos de bebés, mesas bolsadas, fraldas que despertariam os sentidos olfactivos a um paraplégico de noventa e três anos e putos irrequietos de beiçola com ranhoca verde-xucrute. É como se de uma força magnética irresistível se tratasse.
Mas é um clube privativo. Tem certos e determinados requisitos como a idade do miúdo e coiso.
«O teu miúdo tem mais de três anos? Poooois. Desculpa. Mas tens que te sentar noutra mesa. Quiçá naquela na outra ponta ok? Vá. Xau.»- Ora ai está! O requisito máximo! O miúdo tem que usar ainda fraldas. Caso tenha mais de três anos, automaticamente são expulsos e ostracizados. Vi até um desses casais colocados este ano fora desse núcleo duro a olhar da ponta da esplanada para eles com um certo saudosismo e tristeza no olhar.
«Pai, posso pedir um gelado? Pxiu cala-te Zé Rafael! Possa pá! Porquê é que crescestes tão depressa? Podias ao menos sofrer de raquitismo… Porque raio não lhe destes uma dieta pobre em vitamina D, óh Josefa pá?»

Eu garanto-vos: eles andam ai! Nunca os olhem nos olhos! É preciso evitar o contacto visual caso não queiram ser bolsados.

Ps- Tou a ver um filme do Incrível Hulk e uma pergunta bate e rebate, qual sino da igreja, na minha mente: de que raio de tecido é que são feitos os boxers dele? É que quando ele se transforma, toda a roupa se esfarrapa; toda menos os boxers que se mantêm da mais alta qualidade e estilo….

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

segunda-feira, 29 de setembro de 2008



Ontem a sério que estava a ficar com medo, nenhum sms, nenhum mail do senhor... o que só podia querer dizer uma coisa, eu não estou na lista de pares... o pior é que nado mal.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

A razão de tudo

Hoje ví uma das coisas mais fenomenais de que me recordo nos últimos tempos. São coisas como estas que nos fazem realmente abrir os olhos para a vida e vê-la como ela realmente é. Isto e ver o programa da Fátima Lopes ou as tardes da SIC. Segundo uns indivíduos americanos e uma antiga estória com umas largas centenas de anos, os chineses são descendentes directos de extraterrestres! Ou seja, os chineses, e, talvez toda a humanidade (excluindo o Cláudio Ramos, que esse é mesmo ET) é o resultado do cruzamento entre povos extraterrestres com humanóides desde o início dos tempos, o que me leva a concluir que, inicialmente, os e.t’s se deleitavam com a macacada, preliminares incluindo e cuspidelas de pêlo.
E eu digo: pois está mais que claro! Mas isso é mais que óbvio! Só assim podemos tirar uma ideia correcta da humanidade e dos seus desvarios ao longo dos tempos! Complexo de ausência paternal! E ainda se admiram quando os chineses metem preços do outro mundo nas lojas…
Bem, eu vou ali confraternizar com uma abrótea e fico à espera do resultado quando ela desovar.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Denominador comum

Todos temos um amigo que nos envia dezenas de e-mails Fwd por dia. Todos temos uma tia que nos oferece peças de roupa XXL e nos diz "espero que te sirva". Todos temos alguém que uma hora antes da nossa festa de aniversário nos telefona por engano, quando na realidade queria ligar a uma pessoa qualquer que já nos tivesse comprado uma prenda para depois puder dizer "é dos dois". Todos temos uma vizinha que está sempre à janela, garanto-vos que há quem tenha três. Todos achamos que temos dígitos a menos na conta bancária. Todos fazemos o cócó. A merda cheira mal a todos. Todos os dias acordamos (isto se não tivermos morrido durante o sono). Todos os que já vomitaram na rua pensam: "a última, já foi a mais" (não é agradável ver pedaços de lula mal digerida colada ao cabelo). Todos já pensaram em tentar melhorar, depois das férias ou no ano novo. Todos olhamos para os macacos que tiramos do nariz. Todos temos memórias que nos fazem sorrir parvamente. Todos temos um amigo que acha que é cool dizer que não vê televisão e que os blogs são escritos por pessoas assexuadas. E se nem a todos acontece isto, por favor não o digam.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Big brother is watching you

Hoje fui apresentada a uma senhora.
Senhora- És de Lagos?
eu- Sou!
Senhora- Mas eu não te conhecia.
A última frase foi acompanhada por um olhar de predador que observa desconfiado.
Pelo menos é uma boa variante de: -Ah tu és a irmã da/o... filha da/o.
Mas conhecerá todos os habitantes da cidade? É uma questão que coloco, para um debate que será certamente vivo e empolgante aqui entre a passarada e visitantes do ninho. Piu

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Crime. Qual crime?

Uma onda de crime violento ataca Portugal.

Não me ria tanto desde que soube que os Pólo Norte ainda existiam e, como óbvio, voltei a prender o prepúcio no fecho das calças para parar o meu ataque de riso incontrolável.

É este o tema de abertura de qualquer telejornal. Assaltos a multibancos, tiros em esquadras de polícia, assaltos com C4 a carrinhas de transportes de valores… Até que enfim que os portugueses pequenos (segundo as estatísticas, a média de altura nacional é 1,70 m… Eu de cima dos meus 1,80 olho de soslaio para um pais inteiro…) se lembraram de fazer algo que os nossos políticos fazem há N tempo.

Ainda me recordo uma vez de ter que pagar uma multa na universidade de não sei quantos euros e desejar que ao menos a secretária dos SAC ao menos me apontasse uma faca, uma pistola… qualquer coisa nem que fosse um corta-unhas ou um piaçaba sujo. Se sou assaltado, ao menos que me ponham a vida em risco, o bom estado das unhas ou o cheiro e a limpeza da minha indumentária na ocasião do acto.

PS- a partir de dia 16 deste mês vou ter novamente net (isto segundo a senhora da MEO) e por isso escrever mais vezes no meu poiso fora do ninho.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

lalalá lalalá lalá lá lá

A minha mainova, acho graça quando as pessoas se referem assim aos filhos, não é minha filha, mas é minha sobrinha e não pára de cantar isto:
Eu não sei o que me aconteceu...
Foi feitiço!O que é que me deu?
Para gostar tanto assim de alguém
Como tu
Talvez por não gostar da música só agora prestei atenção à letra e sinceramente o que se faz para que a métrica encaixe...
Ora aqui vai o que se deve entender disto:
Eu não sei o que me aconteceu (até aqui nada de mal)
Foi feitiço!(uma referência mística, vulgar, mas não condenável) O que é que me deu (agora começam os problemas)
Para gostar tanto assim de alguém (uma questão normal para um apaixonado recente)
COMO TU - e está tudo estragado, é impressão minha ou isto não é romântico, mas ofensivo?
Porque a meu ver o que isto quer dizer é: Devia estar com uma pedra de todo o tamanho em cima para me ter apaixonado por um trambolho como tu.
E fica só para relembrar esta cuja métrica é um desastre (estando aí uns 30% a 45% da piada), mas é tão impecavel e profissionalmente interpretada pelo moço que mesmo assim é melhor do que o feitiço ou enguiço que deu ao outro.

sábado, 6 de setembro de 2008

Nuno Lopes é um actor


Já tive o prazer de ver uma peça de teatro com este menino, vi o C.R.E.D.O., o Programa da Maria, vi-o também numa novela brasileira (sem fazer nenhum tipo de sotaque ridículo) e ainda o filme português com a melhor música de sempre (posso estar a exagerar e acho o Bernardo Sasseti um arrogante chato, mas raios que a música é de rebentar o coração) - ALICE. Recentemente tenho-o visto nos Contemporâneos. Mas não há nada que ele faça mal?

3º Aniversário da passarada

Na última quinta feira os PFcAD celebraram mais um aniversário. Desta vez o 3º. Eu estava fora do ninho e sem internet o que não me permitiu postar por aqui. Sei que ultimamente temos estado um pouco ausentes mas preparem-se que assim que acabar a silly season voltamos em força. Quero desde já deixar um abraço para os nossos visitantes e não esmoreçam.
Sempre podem ver as noticias da TVI entretanto.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Diz que não há má publicidade


A época de incêndios foi fraca, aviões não caem todos os dias, por isso a paranóia agora são os assaltos e acerca disso tenho isto para dizer:
"Grupo de individuos assalta agência bancária levando 750 €"

1º Parece-me que se fosse um grupo de porcos a coisa teria sido mais séria
2º Estive a fazer contas, neste caso eram 4 assaltantes, 750/4 = 187.5 €. Ora bem um assalto acarreta despesas - armas, gorros de esqui (pode-se optar por colants de senhora) + no caso de se ter escolhido os gorros será necessária uma tesoura para fazer os buracos, isto claro se se tratar do primeiro assalto + roubar um carro e se por azar este não estiver atestado comprar combustível (ao preço que está...) + os riscos de serem apanhados
Acho que este assalto, apesar de terem conseguido fugir, não correu muito bem para os assaltantes.
Quanto ao banco parece-me que ficou a ganhar. A publicidade na televisão é paga ao minuto e em primetime diz que é para lá de caro, 750 € é uma ninharia, que ainda por cima será devolvida pela seguradora.
Amigos assaltantes ponham os olhos no assalto feito por ex-militares de leste a uma carrinha de transporte de dinheiro. Aquilo sim é que foi uma coisa profissional, não mataram ninguém, levaram sacos de dinheiro e fugiram. Foi limpinho, bem preparado e bem realizado. Parabéns!

Duas palavras - Estratégia e Profissionalismo

domingo, 24 de agosto de 2008


Enquanto Nelson Évora subia para a glória, emocionei-me. Emociono-me sempre com as vitórias e as derrotas dos Jogos Olímpicos, seja com um atleta do Turquemenistão, das Molucas ou de Portugal. Tenho ainda uma ideia romântica dos jogos, excluo a política, e fica a beleza do desporto. Mas como dizia, estava a emocionar-me e tinha uma lágrimazita prestes a cair quando oiço isto:
- Que pretinhe bonitinhe!
E foi-se o romantismo dos jogos, voltei à realidade do racismo parvinho e ainda colonialista e engoli frases revoltadas.

sábado, 23 de agosto de 2008

Hoje fui actualizar a minha caderneta. Tinha dinheiro a mais. MAS QUE RAIO?!
Sorri.
Recebi o reembolso do IRS.
Já desconfiava, mas fazer tudo certinho compensa! 45,12 € já cá cantam meus amigos!

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Odeio

Odeio Agosto. Ponto.
Desde a mais tenra idade que sempre odiei este mês. Odeio multidões. Odeio férias massivas. Odeio cheiro a festivais de verão e odeio mais ainda ter que dormir no chão. Lembro-me que muito novinho tive que fazer um clister e foi mais porreiro que este mês. Odeio o cheiro de sardinha assada a tresandar de tudo o que é gente. Odeio os sub-citadinos que entopem a minha linda terra.
Gosto de um mês. Novembro. Isso sim é um mês catita. Sem feriados quase e sem parolos a chatear. Odeio mesmo Agosto.
Simplesmente odeio.

domingo, 10 de agosto de 2008



Emir Kusturica e a sua No Smoking Band dia 15 no SuperBock Surf Fest em Sagres.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008


Com o seu ar muito sério o meu irmão disse:"Foram necessárias 20 mil aves para construir aquilo". E aquilo é extraordinariamente belo!

terça-feira, 5 de agosto de 2008

EMPREGO V - 5,4,3,2,1 ding, ding, ding

Depois de uma pré-entrevista que correu muito bem , fui chamada para uma entrevista que correu muito mal. A sensação que tive ao entrar foi- caso tivesse testículos teriam caído e rolado pelas escadas abaixo. Um dos membros do jurí era uma pessoa que conhecia e a sensação de desconforto foi mais ou menos assim. O mediador da entrevista apresentou-me: "Ora aqui temos uma candidata que é um caso de estudo" depois disto lembro-me de ter ouvido um dos testículos imaginários a cair no último degrau e do meu cérebro tentar fugir, quando dei conta estava em casa em estado de choque. Fiquei com um dos lugares, mas temo que não tenha sido por mérito.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

I'm a believer ????

Acontecem duas enormidades na vida: o nascimento e a paixão! Será inevitável a segunda depois da primeira? Será necessária? Parece-me que a paixão é uma puta lixada. Incute esperança na reciprocidade. A esperança é uma espécie de fé que até o mais descrente passa a ter assim que se apaixona. A grande puta!

quarta-feira, 30 de julho de 2008

É fácil perceber que é verão, basta ver as notícias


Galinha cubana pariu o maior ovo de que se tem conhecimento. Ora isto não é uma notícia é uma coisita com que se enche chouriços. Uma das frases que acompanhou a notícia- "a galinha não morreu e encontra-se de boa saúde", tranquilizou-me bastante e assim acho que já vou conseguir dormir melhor. Quanto à notícia escrita, segurem-se: "a galinha, cujo nome é mantido em segredo, mas que se sabe que é uma mistura de várias raças da região, já detém o recorde da ilha". É bom saber que a galinha está a ser protegida com muito cuidado, até porque se se soubesse o seu nome seria facilmente descoberta, não é Rosita, ai, ups...

terça-feira, 22 de julho de 2008

Relato de um homem que depilou os tintins


Estava eu a ver TV numa tarde de domingo, naquele horário em que não se pode inventar nada para fazer, pois no outro dia é segunda-feira, quando a minha esposa se deitou ao meu lado e começou a brincar com minhas "partes".Após alguns minutos ela teve a seguinte ideia:- Por que é que não me deixas depilar os teus "ovinhos", pois assim eu poderia fazer "outras coisas" com eles.Aquela frase foi igual a um sino na minha cabeça. Por alguns segundos imaginei o que seriam "outras coisas". Respondi que não, que doeria coisa e tal, mas ela veio com argumentos sobre as novas técnicas de depilação e eu a imaginar as "outras coisas", não tive argumentos para negar e concordei.Ela pediu-me que me pusesse nu enquanto ia buscar os equipamentos necessários para tal feito. Fiquei a ver TV, porém a minha imaginação vagueava pelas novas sensações que sentiria e só despertei quando ouvi o beep do microondas.Ela voltou ao quarto com um pote de cera, uma espátula e alguns pedaços de plástico. Achei estranhos aqueles equipamentos, mas ela estava com um ar de "dona da situação" que deixaria qualquer médico urologista sentir-se um principiante.
Fiquei tranquilo e autorizei o restante processo. Pediu-me para que eu ficasse numa posição de quase-frango-assado e libertasse o aceso à zona do tomatal.Pegou nos meus ovinhos como quem pega em duas bolinhas de porcelana e começou a espalhar a cera morna. Achei aquela sensação maravilhosa! O Sr. "tolas" já estava todo "pimpão" como quem diz: "Sou o próximo da fila!"Pelo início, imaginei quais seriam as "outras coisas" que aí viriam. Após estarem completamente besuntados de cera, ela embrulhou-os no plástico com tanto cuidado que eu achei que ia levá-los de viagem. Tentei imaginar onde é que ela teria aprendido essa técnica de prazer: Na Tailândia, na China ou pela Internet?Porém, alguns segundos depois ela esticou o "saquinho" para um lado e deu um puxão repentino. Todas as novas sensações foram trocadas por um sonoro " A PUUUUTA QUEEEE TE PARIUUUUUUU", quase gritado letra por letra.Olhei para o plástico para ver se a pele do meu tin-tin não tinha vindo agarrada. Ela disse-me que ainda restavam alguns pelinhos, e que precisava repetir o processo. Respondi prontamente: Se depender de mim eles vão ficar aí para a eternidade!Segurei o Sr. Esquerdo e o Sr. Direito nas minhas respectivas mãos, como quem segura os últimos ovos da mais bela ave amazónica em extinção, e fui para a banheira. Sentia o coração bater nas "pendurezas".Abri o chuveiro e foi a primeira vez na minha vida que molhei a salada antes de molhar a cabeça. Passei alguns minutos deixando a água gelada escorrer pelo meu corpo. Saí do banho, mas nestes momentos de dor qualquer homem se torna num bebezinho: faz merda atrás de merda. Peguei no meu gel pós barba com camomila "que acalma a pele", besuntei as mãos e passei nos "tomates".Foi como se tivesse passado molho de piri-piri. Sentei-me no bidé na posição de "lavagem checa" e deixei a água acalmar os ditos. Peguei na toalha de rosto e abanei os "ditos" como quem abana um pugilista após o 10° round.
Olhei para meu "júnior", coitado, tão alegrezinho uns minutos atrás, e agora estava tão pequeno que mais parecia o irmão gémeo de meu umbigo.Nesse momento a minha esposa bate à porta da casa de banho e perguntou-me se eu estava bem. Aquela voz antes tão aveludada e sedutora ficou igual a uma gralha. Saí da casa de banho e voltei para o quarto. Ela argumentava que os pentelhos tinham saído pelas raízes, que demorariam a voltar a crescer. Pela espessura da pele do meu tin-tin, aqui não vai nascer nem sequer uma penugem, disse-lhe.Ela pediu-me para ver como estavam. Eu disse-lhe para olhar mas com meio metro de intervalo e sem tocar em nada, acrescentando que se lhe der para rir ainda vai levar PORRADA!!Vesti a t-shirt e fui dormir, sem cuecas. Naquele momento sexo para mim nem para perpetuar a espécie humana.No outro dia de manhã, arranjei-me para ir trabalhar. Os "ovos" estavam mais calmos, porém mais vermelhos que tomates maduros. Foi estranho sentir o vento bater em lugares nunca d'antes soprados.Tentei vestir as boxers, mas nada feito. Procurei algumas mais macias e nada. Vesti as calças mais largas que tenho e fui trabalhar sem nada por baixo.Entrei na minha secção com uma andar igual ao de um cowboy cagado. Disse bom dia a todos, mas sem os olhar nos olhos, e passei o dia inteiro trabalhando de pé, com receio de encostar os tomates maduros em qualquer superfície.Resultado, certas coisas só devem ser feitas pelas mulheres. Não adianta nada tentar misturar os universos masculino e feminino.

voltei voltei...

Pensavam que se tinham livrado de mim????

Pois ainda não foi desta!!!!! Querias batatinhas com enguias.... blhac detesto enguias... mas não me lembrei de mais nenhuma!

Finalmente o verão hein!? e viva o calor, o sol, a praia... mergulhaças e afins... e eu a bulir que nem uma moira, nesta Lisboa cheia de "camons" ...

segunda-feira, 21 de julho de 2008

O fim dos Foleirins

Desde há uma semana que me encontro desterrado no ninho da passarada na companhia do Sr. Satanhoco e da Dusty (que faz anos hoje e que também regurgitou uma bola de pêlo do tamanho de uma toranja holandesa. Mas das holandesas. As toranjas alemãs são levemente maiores) e daí a minha ausência deste canto da blogosfera. Como é óbvio, as noticias também raramente chegam aqui ao ninho a não ser que algum snaita de sabão resolva comprar o pasquim 24 Horas e nos emprestar para ler. Pois.
Lí um número desse tal pasquim e fiquei estupefacto: OS DELFINS ACABARAM!!! E vocês exclamam: É verdade. E eu indago-me. SÓ AGORA? Eu julgava-os já mortos e enterrados há coisa de alguns anos. Pensava isso desde a altura em que eu, mero transeunte, andava pela rua indagando-me acerca de porquê o José Cid usar óculos quando pisei um enorme cocó de cão, mas só depois uma observação mais cuidadosa notei que era o Miguel Ângelo dos Delfins.
Bem, a verdade é que eles acabaram. É pena. Mas é mais provável eu me rir muito disso ao ponto de entalar o prepúcio no fecho das calças para parar que o Freddy Krueger se tocar a ele próprio sem ocorrer derramamento de sangue.
Porreiro pá! Mas é que é mesmo.

sábado, 19 de julho de 2008



Ontem, durante uma viagem num comboio alfa cheio até às malas, ouvi uma das frases mais interessantes dos útlimos dias: "No Algarbe o peixe é todo de apicultura." Depois mudei para um comboio que se agitava e se ouvia como o da fotografia, cheguei à minha terra e fui a um wc público com portas de vidro, o que é sempre uma experiência incómoda. Por fim atravessei uma massa de gente do mundo que cheirava a férias e a um ano ou dois de crise e cheguei a casa.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Exercício Adília Lopes

Proposta:
Observa o mundo e escreve qualquer coisa como se fosses a Adília Lopes!

Aqui vai a minha contribuição:

No sábado à noite saí,
mas não me diverti

terça-feira, 8 de julho de 2008

Compre já o seu!

Aqui está mais uma coisa que não precisam, que custa muito dinheiro e não vai durar muito. Mesmo que ninguém vos dê um cartão de crédito, mesmo que devam dinheiro a toda a gente, mesmo que estejam falidos, mesmo que não pretendam pagar, mesmo que sejam o Cláudio Ramos ou o David Mota, não nos interessa! Milhares de clientes vêm ter connosco todos os anos e dizem a mesma coisa: «Por favor, devolvam-nos o nosso dinheiro!» Lembrem-se que custa um pouco mais e não funciona tão bem. E está artilhado de coisas com nomes que não vai conseguir pronunciar (mais que o palavreado cientifico hoje em dia nos iogurtes). Preço especial para idosos (o triplo). Não se esqueçam, somos suficientemente poderosos para vos lixar e suficientemente mesquinhos para sorrir enquanto o fazemos. Mais ainda que a indústria gasolineira.


Ps- já agora, alguém me sabe explicar que raio é o aplicador que vem agora nos novos tampões da Evax? Uma pressão de ar? Faz-me confusão. É o meu lado curioso acerca do fantástico universo feminino.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Um parque de merendas algures por aí




sábado, 5 de julho de 2008

Elevadores

Qual é a probabilidade de se andar com um desconhecido num elevador em que ambos levam um ramo de flores? Não sei, mas isso aconteceu-me hoje. Ele ía com aquele ar muito satisfeito de quem vai surpreender alguém. Um ramo de rosas vermelhas enorme, tive que lhe abrir a porta do elevador porque o ramo era quase tão grande como a sua satisfação. O meu ramo envergonhou-se, sabia que não era tão especial como o seu companheiro de elevador. Primeiro porque foi comprado pela pessoa errada, com muitos anos de atraso - 35 - embora vá ser oferecido pela certa. A minha mãe faz anos hoje e sendo que o meu pai tem muito pouca sensibilidade e na lista de prendas que ofereceu à minha mãe se inclui um trem de cozinha e toalhas de mesa, há uns anos que são os filhos que têm que comprar qualquer coisa em cima da hora. Desta vez fui eu, mas parece-me sempre mal.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Os PFcAD aconselham...

Não usarás meias da raquete com sapatos pretos, além de ridículo, é inestético.

Não deixarás crescer a unha do dedo mindinho. É feio, não higiénico e enfim... é de labrego se não fores fadista.

Caso sejas homem, não pedirás nos bares safari com sumo de maçã, tangos, ou frangélicos... Poderás pedir caso sejas o Cláudio Ramos.

Por último, aconselho este blog.
É de um grande amigo meu que acordou um dia, depois de se embebedar com creolina incorporando o espírito do Bocage. Ele também é leitor assíduo deste blog. E garanto-vos que é mais assíduo que o Magano.
Os PFcAD desejam o maior sucesso ao teu blog, que eu (Sandes) ganhe o euromilhões, que o Cláudio Ramos faça um tratamento á base de testosterona e que o preço da gasolina não aumente, vá lá, durante o tempo que eu levo a escrever este post.
Porreiro pá.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Adília Lopes é genial e faz-me rir!

A cerejeira está em flor
à porta dos Botelhos

A casa dos Botelhos
é amarela
--------------------------------------------
O meu amor
é a Lua
e eu sou
um girassol

Vou-me embora
para o Tirol
--------------------------------------------
Há mar
salgado
Há ondas
barulhentas

quarta-feira, 25 de junho de 2008

FESTIVAL MED 2008 - Loulé






Gato Planador

Faz algum tempo que não escrevia nada, mas ao ver que se falava de gatos por aqui não consegui resistir.
Hoje trago-vos uma experiência para todos efectuarem em casa.
De seu nome, Gato Planador.

Como todos sabem quando atiramos um gato ao ar este cai sempre de pé…seja como for cairá com as patas no chão.
Por outro, e segundo as leis de Murphy, se tivermos uma torrada com manteiga de um dos lados. Se esta cair, a parte da manteiga cairá virada para baixo.
Assim, e baseado nestes dois irrefutáveis estudos, é possível desenvolver esta experiência.
Basta barrar manteiga nas costas do gato (desta vez podem deixar por torrar) e atirar o bicho do alto do vosso telhado. Devido aos sentidos contrários das forças actuantes estas irão anular-se. E assim o vosso gato irá planar!

Para os mais entendidos apresento aqui todos os extensos cálculos que foram efectuados, mas devido a sua complexidade podem não ser facilmente compreendidos pelo mais leigo leitor.

Força do gato = Força da manteiga
Força do gato – Força da manteiga = 0

Logo, gato a planar!

Aconselho vivamente que todos efectuem está experiência em vossas casas, para os filhos, vizinhos ou namoradas. Para provar que a ciência pode ser divertida…se pode!
Para que seja mais fácil vislumbrar a magnifica vista do gato a planar aconselho que o atirem do 10ºandar. No mínimo!

terça-feira, 24 de junho de 2008

Ribeirinho x "Robertini"


A RTP tem passado filmes portugueses antigos dos quais gosto muito. Sobretudo do overacting involuntário das actrizes e do extraordinário António Silva (mil vezes melhor do que o Vasco Santana). Os meus preferidos são o "Pátio das Cantigas" e o "Leão da Estrela".
Há uns dias, depois de ver o "Pátio das Cantigas" pela milionésima quadragésima vez, concluí que o Ribeirinho (actor que faz de filho de Vasco Santana) é moderno na sua forma de humor físico, sem cair no exagero e depois, mas que raio o Roberto Benigni é parecidíssimo com ele.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

A expansão dos ranháus

O Euro já acabou para nós. Fiquei preocupado. Com o facto de termos perdido e mais ainda com o fim da nossa actuação e, logo, o inicio dos incêndios florestais de verão. Toda a gente sabe, que, enquanto o país inteiro estivesse a olhar para a televisão a torcer pela vitória da selecção, a probabilidade de energúmenos e outros que tais acéfalos provocarem incêndios “despropositadamente” era praticamente nula.
Acabou o Euro e lá acordámos para a triste realidade: a bolsa cai a olhos vistos, o preço do petróleo aumenta que nem os processos contra o Vale e Azevedo, o nosso Arsène Lupin, e isto só para enumerar alguns.
Mas, na verdade, nem só de más notícias vive o nosso país.
Depois do fantástico episódio dos tigres da Azambuja, mais um novo episódio parece estar a acontecer. Habitantes do lugar do Leandro, lá para os lados da Maia, juram a pés juntos, que anda por lá um felino de grandes dimensões. Perguntam-se vocês: gatos persas? Siameses? Angorás? Quiçá. Mas de Chernobyl. Parece que as marcas do tipo são mesmo grandes.
Somos mesmo um país de grandes ambições. Ao menos isso não nos falta. Uma vez que o lince ibérico está praticamente extinto, importemos leões, tigres e outros que tais. Mais pequenos que isso para nós não serve. Eu cá estou a pensar adoptar um para me manter o jardim limpo de ratos, sapos, toupeiras, coelhos, veados, javalis, testemunhas de Jeová e carteiros. O que vai ser chato são o tamanho das bolas de pêlo que regurgitam.
Porreiro pá! diria mais ainda: supimpa! Catita!

sábado, 21 de junho de 2008

PALAVRAS...

...principalmente as do Sandes e da Trambolho são o blogue. Quem nada tem a acrescentar põe imagens, ou pega nas palavras dos outros e faz uma imagem.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Venham mais 40000!

Pois é. Os PFcAD estão perto das 40000 visitas! Tantas quanto os lugares vagos em muitos estádios do Euro 2008! Tantos quantos um futebolista mata ao cabecear a bola! Tantos quantas as dúvidas que habitam a cabeça do Cláudio Ramos acerca da sua suposta paternidade. É certo que 85% das visitas diárias correspondem aos elementos da passarada, 10% de fãs da Floribela e 1% do Cláudio Ramos mas tudo bem. Se são 40000 tem que ser celebrado. Haja fogo de artifício e sardinha assada! Haja tinto e palheto! Haja anões de biquini e vendedores de amortecedores panamenhos em segunda mão!
Para tal, convido todos os elementos e visitantes interessados (nem que seja minimamente) para um jantar convívio em data e local a designar mas que em principio será no ninho da passarada ( Mina de S. Domingos). Já sabem: é só quererem.
Pode ser que nessa altura o Magano decida escrever o seu 1º post!
Porreiro pá!

Pensamentos Dispérsos: A azia

Odeio suíços... não é bem odiar. É mais não gostar. Nunca olhei com bons olhos pessoas que fazem buracos no queijo.

sábado, 14 de junho de 2008

Celuliti - Carta Aberta


Quéria agradecé publicamenti a todas as pessoais qui mi enviam piadas sobri celuliti, mais devo confessá qui, contra todas as evidências, EU NÃO TENHO CELULITI! No entanto si quiserem podem mandar-me i-meius sobri à capa di playbôy qui fiz.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Pensamentos Dispérsos: depois do bloqueio

Como é que se convence um miúdo invisual a comer as cenouras ao jantar?

O andar da pediatria nos hospitais são locais fenomenais. Na minha ultima visita a uma vi dois miúdos de sete anos a transplantar o rim de um tipo.

“Trabalho duro” é uma expressão enganadora. Esforço físico e horários longos não constituem trabalho duro. Trabalho duro é quando alguém paga para fazermos uma coisa que preferíamos não fazer. Sempre que vos apetecer fazer uma coisa que não seja o que estão a fazer, estão a fazer trabalho duro. Se não lhes pagarem chama-se esclavagismo. Se tiverem menos de dezasseis anos é exploração infantil.

Prefiro as pessoas com imaginação: ditadores, assassinos em série, camionistas, barões da droga, adoradores do diabo, professores primários dos anos 30. Para mim, estas são as pessoas interessantes. Acho que aquilo de que o pais precisa para entrar nos eixos é mais maldade. Mas maldade mesmo e não idiotice. Maldade pura, intensa e descomprometida.

Vá já ao Centro de Remoção de Quistos do Cláudio Ramos! Quistos normais: 5 €
Quistos grandes e complicados: 1 € por cada 50g.
Cláudio Ramos: a remoção de quistos para gente esperta!

Compre já o seu! Já todos têm um! Novo, super luxuoso, ultraleve, articulado, fácil de usar, com garantia vitalícia e disponível em todas as cores, tamanhos e sabores! Compre já o seu! Não se gasta, não amolga e não perde tinta. Mas provoca tumores.

No futuro, a luz solar vai diminuir para o equivalente de uma lâmpada de quarenta watts e as pessoas com a capacidade sobre-humana de semicerrar os olhos vão ter uma vantagem na luta pela sobrevivência.

No futuro, toda a gente vai falar a mesma língua mas ninguém a vai falar bem.

No futuro, as galinhas vão passar a funcionar a gasolina, e, surpreendentemente, algumas terão consumos extremamente baixos.

quarta-feira, 11 de junho de 2008

O dia da raça


Cavalo puro sangue lusitano

Cão Serra da Estrela

Cão de Água Português

E o meu preferido o Rafeiro Alentejano.
Dia de Portugal, de Camões, das Comunidades Portuguesas e da Raça Puro Sangue Lusitano, Heil! Estive agora mesmo a escovar a minha farda da Mocidade Portuguesa, ai, ai belos tempos...

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Padrõezinhos

Gosto de futebol? Sim, mas de histeria não. Claro que os passeios de Scolari em Neuchatel são muito importantes para a minha vida assim como o número de pares de ténis que o Quaresma tem, mas acho mais importante, e talvez tenha as minhas prioridades trocadas, a manifestação de 200 mil pessoas ontem em Lisboa. No entanto jornais e telejornais dedicaram menos espaço e tempo a esta manifestação extraordinária do que ao facto de Cristiano Ronaldo ir ou não para o Real Madrid. Mas devo ser eu que sou esquisita... e Já agora vejam isto!

sábado, 31 de maio de 2008

Patinha Antão

0,6% ???????
Parece-me que merecia mais, pela determinação, pela coragem e pelo profundo serviço prestado ao país. Pela determinação em manter o nome de baptismo, pela coragem de mesmo assim ser uma das 321 pessoas a querer ser líder do partido e por esse grande serviço político que é fazer rir.
Adorei o discurso do sr. Lopes em que disse: "É bom ver como fiquei distanciado dos outros" e insistiu que ele era a diferença. Nunca tinha visto ninguém dizer que o terceiro lugar era bom porque provava que tinha razão.

sexta-feira, 30 de maio de 2008

Colombo, Reis e bacalhau

Quando um português-tipo sai do país procura comida portuguesa, porque a sobrevivência disso depende. Quando uns monarcas nórdicos fazem uma visita de estado não querem outra coisa senão ver um belo bacalhau num hipermercado. Quando se receber a família real saudita é bom que já se tenha um belo poço de petróleo em território português, caso contrário o que é que se vai mostrar aos senhores? E as conversas, há que ter qualquer coisa em comum. Não se poderá dizer "A última vez que estive numa matança de porco comi como um rei!" Quando el presidente da Venezuela esteve por cá foi recebido pelo senhor engenheiro e uma vara de gasolineiros, que subtileza...

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Já farta assim um bocadinho a modos que muito

Hoje vi o telejornal da TVI.
Fui assaltado por um sentimento que me é raro: a INVEJA.
Por momentos quis ser o Miguel Sousa Tavares. Mas palavra que quis mesmo. Mas que belo emprego sim senhor. Ser pago para falar e dizer aquilo que penso sem ligar cavaco aos outros. Até me imaginei:

Pivot (não é o dos dentes, é o do telejornal): Sandes, que acha da crise no médio oriente?
Sandes: Acho que sim. Mas digo desde já que os americanos não eram nada sem o Trotsky que mandava na URSS e que esta não era nada sem Cuba, que, por sua vez, não era nada se não pertencesse ao distrito de Beja!
Pivot: Sem dúvida! E qual a sua opinião acerca do aumento dos combustíveis?
Sandes: Porreiro pá! (enquanto tirava descontraidamente a catota com a unhaca do mindinho).

O verdadeiro problema seria se me perguntassem sobre futebol, o que parece dominar de momento todos os aspectos da vida de qualquer português. E tenho que falar acerca disso.
Não basta ter que papar com 95% dos telejornais relacionados com a selecção portuguesa, não basta ter que apanhar com 70% da publicidade televisiva com anúncios imbecis acerca do Euro 2008, como ainda apanhar nos bancos com imbecilidades de cartões Multibanco como aquele cartão de sócio da selecção. Palavra. “Epá, eu gosto mesmo da selecção!” “ Mas não gostas mais que eu porque eu sou sócio e tu não!”. Ridículo o que se inventa para enganar patêgos bem intencionados. E eu a pensar que o que bastava era ser português para poder torcer bem pela selecção das quinas.
Antes, no tempo da velha senhora, vivia-se os três Fês. O Fado, Fátima e o Futebol.
Parece que este último conseguiu suplantar os outros primeiros.
Outra coisa que não percebo é aquela gente toda excitada a ver os treinos da selecção. Homens agarrados às redes a bradarem de goela escancarada todos excitados a pedirem a t-shirt toda suada e a cheirar a cavalo dos jogadores. Não compreendo como podem ficar excitados por ver outros homens correr mas pronto… isso sou eu que sou assim. Enfim.
Neste momento vocês estão a julgar: “ Porra que este Sandes só vê aspectos negativos no Euro…” Não é? Pois enganam-se. Vejo positivos. De certeza que durante o Euro não vai haver, ou quase, incêndios florestais.

E quanto ao aumento dos combustíveis, do péssimo sistema de saúde português, do cada vez pior poder de compra dos portugueses, do Cláudio Ramos, do terramoto na China e etç? Epá, isso logo se pensa numa solução quando acabar o Euro.
Porreiro pá.

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Fixação Oral

Sou um fascinado pelo herpes. Gosto de ver as pessoas com aquilo nos lábios e ao mesmo tempo envergonhadas por terem uma crosta de meio metro agarrada à beiçola. São das coisas mais fascinantes que existe em todo o universo oral. Isso e aquela crosta que se forma também ela nos lábios dos velhotes e até em nós quando dormimos. Uma película pegajosa, um tipo de mistela que se vai acumulando e, quando seca, se transforma numa crosta estaladiça? Mais grossa nos cantos e aligeirando-se à medida que se aproxima do centro dos lábios? E que acaba por dar a estes um aspecto de um parêntesis? Já tiveram isso? Crosta labial?
Aqui está uma forma de se livrarem dela de uma forma rápida, simples, indolor e requer uma única ferramenta: a unha do polegar. É só disso que precisam. Da bela da unhaca. Raspem, raspem, raspem. Se alguém olhar, continuem a raspar. Não há nada mais natural que essas coisas. Essas mistelas excretadas pelo nosso maravilhoso corpo. Continuem a raspar até sair mesmo tudo. Depois, peguem nela, façam uma bolinha e guardem-na. É o que eu faço. Tenho a “aficción” pela crosta labial.

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Alibi

- Boa tarde, podia dizer-me onde devo apresentar uma queixa?
- Com verteza minha senhora é no 1º andar gabinete 3 E e será atendida pelo agente Barros.
- Muito obrigada.
- Boa tarde fui gravemene agredida pelo meu útero esta manhã e quero apresentar uma queixa formal.
- Hoje de manhã?
- Sim!
- Impossível!
- Como assim?
- É que eu passei toda a manhã com ele.

Típico a defenderem-se uns aos outros!

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Dor de burro!

Foge para a luz. Os nossos antepassados fizeram sempre isso. Não te deixes perder na penumbra. Foge! Corre! Mexe as tuas pernas como se não houvesse o amanhã e o depois de amanhã. Corre até as tuas forças se tornarem vagas, longínquas. Corre até as tuas pernas se tornarem gelatina. Corre apenas para mostrar que és tu que estás à frente das tuas decisões! Corre para a luz sempre! Se a marca na tua testa for no feitío de uma estrela, foi um Mercedes. Senta-te e respira. O nosso sistema do 112 ainda demora um bocado até chegar.

terça-feira, 20 de maio de 2008

You are doing the white man's job

"Avisamos que as imagens que vamos apresentar podem ferir os espectadores mais sensíveis". Um repórter qualquer filmou uns tipos sul-africanos a espancarem um imigrante. E filmou o grupo a cantar e a dançar e a mostrar as suas armas, paus. E lá íam eles todos contentes a fazer o trabalho que a escumalha política (branca e preta) mandou fazer. Culpar a imigração pelos 40% de desemprego não é uma ordem? E assim se lavam as mãos da culpa enchendo a dos outros de sangue. O melhor destas imagens é que passadas na África do sul pode subentender-se - Estão a ver não sabem governar-se, nos governos brancos isto nunca aconteceria! E na europa branquinha de direita vai-se ouvindo,"São mesmo uns animais" "São mais racistas que os brancos" "Matam-se uns aos outros". Lá pelo meio estão polícias a ver passar o grupo de limpeza. E ouve-se uma voz "os mais pobres dos pobres a matar os ainda mais pobres". É que se fossem ricos a brutalidade seria muito mais desculpável...

segunda-feira, 19 de maio de 2008

A-tipa-com-nome-esquisito-do-videoclip-com-música-supimpa



Hoje quando regressava a Évora, a tipa da rádio disse que tinha que ver este videoclip. Já ouvi a música mas nunca o vi. Sou um rapazinho bem mandado. Uma vez que vou ver, vou partilhar convosco.

PS.- agradecimentos à minha conterrânea e amiga a quem a memória não falhou. Lembrou-se do nome da cantora. Xiça... que nome... sui generis. E lembra-te que és sempre bem vinda.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Peça de um só acto

1º acto, cena 1
Duas irmãs num carro em andamento enquanto se ouve o som da rádio, ouve-se uma voz é a de Cristiano Ronaldo num anúncio de um banco.
irmã 1 - Mas porque raio põem este gajo a falar?!
irmã 2 - É para ver se aprende!

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Madame, cette musique n'est pas pour vous

A traição não está nos planos das notas musicais, nem das tintas. Um cavalete não cora perante os olhares de soslaio dos pincéis. "Perdoa-se a um amante o que não se perdoa a um amigo" diz a velha máxima. O trompete não toca só para a alvorada, toca também enquanto assiste à morte rápida de uma amizade. Se não se presta assistência a um moribundo comete-se um crime. Se não se ajuda um animal agonizante somos insensíveis, mas quando não se evita o fim de uma amizade é-se o quê? Imoral? Não temos culpa? Então porque é que a consciência nos envenena aos poucos? Enquanto pensa nisto Ema descobre um novo amante e Carlos, o seu tourino marido, sorri porque perdoa. As vacas fazem muuuu, mas os cães que habitam as cabeças não ladram, nem mordem, correm eternamente atrás das suas caudas. Ema acabará por morrer. Nenhum instrumento se ouvirá porque aos traidores é negada a música.

terça-feira, 13 de maio de 2008

Pensamentos Dispérsos: O re-re-retorno.

Como será o hálito matinal de alguém que acorda de um coma de sete anos?

Jesus não foi o único que regressou dos mortos. Temos também os lobisomens, o José Cid, zombies e os vampiros .

PIADA GENÉRICA: uma pessoa entra num sítio e diz algo a outra pessoa. A outra pessoa responde à primeira que ouve e diz outra coisa à segunda pessoa. A coisa que diz é muito engraçada.

O futuro já não é o que era.

FACTO VERÍDICO: Passa um anúncio nas revistas que afirma a pés juntos que um certo e determinado comprimido de dieta emagrece três vezes mais depressa do que passar fome. Pergunto-me se testaram mesmo.

Acham tristes as vidas de quem é paraplégico? Imaginem que se fossem cavalos já eram bifes a esta hora.

Começo a sentir mais compaixão. Tenho de ter cuidado com isso.

Beber aumenta seriamente as hipóteses de matar um ente querido.

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Beirut


Prometi-me ver estes tipos ao vivo! Lamentavelmente já não vêm este ano a Sines, ao Festival Músicas do Mundo, mas pode ser que para o ano...

Como ser uma gaja boa?


Nas revistas femininas, nos programas femininos, nas entrevistas femininas, repetem-se exaustivamente os mesmos temas. A repetição em si é apenas parva, mas os temas...
- Diga-nos convidada de hoje, que é muito gaja e boa e magra, o que é essencial estar na sua mala?
E a resposta da convidada muito gaja e boa e magra é invariavelmente: maquilhagem e telemóvel. Mas aquelas santas almas entram em casa como? E nunca andam com dinheiro?
- Filme preferido?
- Titanic.
- Diga-nos só mais uma coisa gaja boa, quem é o seu actor preferido?
- Estou muito dividida entre o Brad Pitt, George Clooney e o Leonardo DiCaprio. (que inesperado!!!! Mas a pergunta era qual o melhor actor, que é mais abrangente que Hollywood, e não com qual dos actores americanos gostaria de misturar o seu ADN.)
Portanto o primeiro passo para ser uma gaja boa é: pensar como uma gaja boa.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

As mulheres com mais de 30 anos...

Um tributo às friends que chegaram lá e sabem do que fala este grande senhor ;)
aos homens...leiam e pode ser que cheguem lá:)

Escrito por Andy Rooney, apresentador do programa da CBS "60 Minutes".... subscrevo!!!

Para todas as mulheres com mais de 30 anos... e para aquelas que têm
medo de entrar nos 30... e para os homens que têm medo das mulheres com mais de 30!
À medida que vou envelhecendo, valorizo cada vez mais as mulheres com mais
de 30 anos. Estas são apenas algumas das razões porque o faço:

- Uma mulher com mais de 30 nunca te acordará a meio da noite para
perguntar "Em que é que estás a pensar?". Ela não se
importa com o que tu pensas.

- Se uma mulher com mais de 30 não quer ver o jogo de futebol, não se
senta
a teu lado a lamentar-se. Ela faz alguma coisa
que queira fazer e, geralmente, é algo mais interessante.

- Uma mulher com mais de 30 conhece-se suficientemente bem a si própria
para estar certa de quem é, o que quer e de quem o quer.

-Poucas mulheres com mais de 30 anos ligam alguma ao que tu possas estar a
pensar sobre ela ou sobre o que ela está a fazer.

- As mulheres acima dos 30 têm dignidade. Raramente terão uma discussão
aos
gritos contigo na ópera ou no meio de um restaurante chique. No entanto,
claro, se tu mereceres, não hesitarão em dar-te um tiro.

- As mulheres mais velhas são generosas nos elogios, muitas vezes não
merecidos. Elas sabem o que é não ser apreciado.

- Uma mulher acima dos 30 tem segurança suficiente para te apresentar às
amigas. Uma mulher mais nova acompanhada de um homem ignora frequentemente
até a melhor amiga porque não confia no homem perto de outra mulher. Uma
mulher com mais de 30 não se podia estar mais nas tintas se tu te vais
sentir atraído pelas amigas dela, não porque confie em ti, mas porque sabe
que elas não a trairão.

- As mulheres tornam-se psíquicas à medida que envelhecem. Nunca terás que
confessar os teus pecados a uma mulher com mais de 30. Elas sabem sempre.

- Uma mulher com mais de 30 fica bem a usar um batom vermelho brilhante. O
mesmo não se aplica às mulheres mais novas.

- Depois de ultrapassares uma ou outra ruga, vais ver que uma mulher com
mais de 30 é de longe mais sexy do que qualquer colega mais nova.

- As mulheres mais velhas são correctas e honestas. Dizem-te imediatamente
que és um idiota se te estiveres a comportar como tal. Nunca tens que
tentar
adivinhar em que pé estão as coisas entre vocês.

- Sim, nós elogiamos a mulher com mais de 30 por várias razões.
Infelizmente, não é recíproco. Por cada bela, inteligente, segura e sexy
mulher com mais de 30 anos, existe um careca, barrigudo, em calças amarelas
a fazer figura de parvo com uma empregada de mesa de 22 anos...


Saudações marafadas

terça-feira, 6 de maio de 2008

Efeitos especialissimos

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Nina

Nina é uma caniche branca que vive numa varanda no rés-do-chão do lote 2. Não é muito feliz, não por estar confinada à varanda, isso é até um luxo quando se compara com a sua prima Princesa que está sempre presa. Ela sente-se muito envergonhada quando vai passear. É que a humana que a leva à rua e lhe dá comida, para além de lhe ter dado aquele nome rídiculo, grita-o de cinco em dez segundos em quinze segundos o que é muito embaraçoso. A voz é tão estridente, irritante e o ritmo em que repete o grito é tão rápido que, Nina não sabe, mas há um Trambolho que vive no lote 4 que já pensou seriamente em convocar uma mílicia de bairro para cortar cirurgicamente as cordas vocais à tótó que grita Nina Nina Nina NINA NINAAAAAAAAAAAA!!!!

sábado, 3 de maio de 2008

Xavier

Esta noite Xavier vai abrir a sua melhor garrafa de Cianeto, de 1946 ( a melhor produção do pós-guerra) e saboreá-lo como se fosse a última coisa que tivesse oportunidade de fazer na vida.

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Voaria se tivesse asas

A Joaninha já fora de época tentou integrar-se num bando de cegonhas, nada feito, era pequena demais e não combinava cromaticamente. "Então e a roupa?" comentava maldosamente uma das cegonhas mais conhecidas pelo seu bico maldizente. E quem a ouvia acenava a medo que sim. Mas o insecto às bolinhas não era de ficar em casa a lamuriar-se e mesmo assim foi à festa. Inesperadamente encontrou-o, e ela que estava tão segura de si que pelo menos naquele dia não o iria ver. E aquele sorriso fê-la desejar mudar de espécie. Barateou tontamente de um lado para o outro, mas as conversas não lhe saem naturais quando as asas estão fechadas e acabou por ir embora. Jaz agora no farol dianteiro de um Fiat 600, o seu preferido, ficou feliz! "Ao menos nisto" pensou.

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Pensos Higiénicos

Ando desorientado. Assim a modos que confuso. A razão é um anúncio que passa na televisão. É o novo anúncio de uma conhecida marca de pensos higiénicos em que aparecem uma grande quantidade de jovens raparigas extremamente animadas a cantar e a dançar como se nada se passasse com elas e não sei quê. E eu ponho-me a pensar: publicidade enganosa? Será? Quiçá. Elas não dão a mais pequena ideia de que estão menstruadas. É que nem sequer sindroma pré-menstrual parecem ter. E eu embora nunca tenha sentido nada disso na pele (graças ao Omnipotente e Omnisciente! Obrigado pela testosterona. Jasus…), já tive algumas vivências em que isso tinha papel preponderante.

Sandes: Òh Jacinta! Queres ir comer caracóis?
Jacinta: GRAUHAUAHU!!

Sandes: Leocádia, gostas dos Morangos com Açúcar? E dos D’zrt?
Leocádia: GRAUHAUAHU!

Mas enfim, o anúncio até está animado. Tem a sua piada. As cores e tal.
Mas uma coisa vos digo. Confiar num ser que sangra seis dias e não morre? Não sei… Mas nunca fiando.