quarta-feira, 30 de abril de 2008

Pensos Higiénicos

Ando desorientado. Assim a modos que confuso. A razão é um anúncio que passa na televisão. É o novo anúncio de uma conhecida marca de pensos higiénicos em que aparecem uma grande quantidade de jovens raparigas extremamente animadas a cantar e a dançar como se nada se passasse com elas e não sei quê. E eu ponho-me a pensar: publicidade enganosa? Será? Quiçá. Elas não dão a mais pequena ideia de que estão menstruadas. É que nem sequer sindroma pré-menstrual parecem ter. E eu embora nunca tenha sentido nada disso na pele (graças ao Omnipotente e Omnisciente! Obrigado pela testosterona. Jasus…), já tive algumas vivências em que isso tinha papel preponderante.

Sandes: Òh Jacinta! Queres ir comer caracóis?
Jacinta: GRAUHAUAHU!!

Sandes: Leocádia, gostas dos Morangos com Açúcar? E dos D’zrt?
Leocádia: GRAUHAUAHU!

Mas enfim, o anúncio até está animado. Tem a sua piada. As cores e tal.
Mas uma coisa vos digo. Confiar num ser que sangra seis dias e não morre? Não sei… Mas nunca fiando.

O que come uma família durante uma semana


ALEMANHA

ITÁLIA

EQUADOR

CHADE
Cresci a jantar enquanto via crianças a morrer de fome, essas imagens parece que já não vendem e por isso já não passam nos telejornais. Mas por não as vermos não quer dizer que não continuem a existir. A mim pouco me importa se não está ninguém na floresta, as àrvores fazem sempre barulho a cair. Nas últimas semanas as notícias são alarmantes, podem culpar a produção do bio-combustíveis, mas a fome existe porque não há um verdadeiro interesse em acabar com ela. O Banco Alimentar Contra a Fome, em Portugal por exemplo, já alimenta pessoas empregadas que têm carro e casa e empréstimos. A fome não é um problema dos pobrezinhos de África. A fome não é uma vergonha, é um crime! O que me impressiona mais nestas fotografias nem é tanto a diferença evidente de quantidade de produtos, mas a quantidade de àgua dispónível para uma semana, para uma família. Li e reli relatórios sobre a desertificação em África e assisto às migrações, que tanto assustam esta Europa de Direita. As migrações são a solução básica que se repete ao longo de milhões de anos de evolução, não há alimento aqui, então temos que o procurar noutro lugar. O estranho é que agora já há mecanismos que poderiam mudar isto e não estou a falar da distribuição de sacos de milho pelas aldeias e campos de refugiados da desertificação, nem todos fogem da guerra. Mas não há interesse. Não consigo entender, porque os ricos não ficariam menos ricos se deixasse de haver fome. Não te preocupes oh coisinho que andas no teu maserati vermelho e com a tua mulher troféu, pobres existirão sempre!

terça-feira, 29 de abril de 2008

EMPREGO IV - Pré-entrevista


Só para vos manter informados. Correu bem, para a semana posso ser de entre os 167 candidatos uma das escolhidas para o 2º assalto. Ora se só hoje os meus intestinos explodiram quatro vezes, quantas serão se fôr à entrevista mesmo? Há quem grite, chore, fique com dores de cabeça ou vomite com os nervos, mas eu não, eu fico uma ou duas semanas a precisar de fazer anúncios sentada num sofá verde no meio da rua, enquanto faço movimentos circulares em frente da barriga.

Roteiros PFCAD














A Áustria é um país montanhoso localizado na Europa Central, limitado a norte e oeste pela Alemanha, a norte pela República Checa, a leste pela Eslováquia e Hungria, a sul pela Eslovénia e Itália e a oeste pela Suíça e Liechtenstein. A Áustria é um país membro da União Europeia. A língua nacional é o alemão. Sua capital é Viena.
O oeste e sul da Áustria estão situados nos Alpes, o que faz do país um destino bem conhecido por seus desportos de inverno. A montanha mais elevada é o Grossglockner, com 3 798 metros, seguida pelo Wildspitze (3 774 m).
O norte e o leste do país são na sua maior parte terreno ondulado. O clima é temperado, com invernos frios e verões frescos.
O país é atravessado pelo Rio Danúbio.
Os habitantes são simpáticos mas um tanto apegado às suas coisas e aos seus.

Pensei lá ir dar uma volta. Conhecer jovens louras de olhos azuis bebedoras compulsivas de cerveja. Mas… pensando bem, não me apetece muito passar no mínimo os meus próximos oito anos de vida fechado numa cave ou num sótão.





domingo, 27 de abril de 2008

O Thriller lá do sítio.




Uma vez que o mítico vídeo do tipo que falhou a profissão (já explico) faz 25 anos, aproveitei para pôr este excelente vídeo do país do Alexandre O Ghandi.
Só para que saibam, a actriz principal não tem medo, aquelas caretas são mesmo de vexame perante tão triste figurinha do cantor. Tenham especial atenção às legendas.
Passo a explicar porquê o Michael Jackson falhou de profissão. Se tivesse escolhido ser padre nos E.U.A., podia molestar todas as criancinhas que quisesse e não precisava de se envolver em escandalos de julgamentos mediáticos.
Apreciem.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

EMPREGO III - O que vestir na entrevista?


Fui chamada para uma entrevista e vou ter que comprar roupa para poder ir lá dizer três defeitos e três qualidades e porque seria uma funcionária maravilhosa. Porquê? A minha roupa ou está esfarrapada, ou com salpicos de tinta acrílica, ou grande. Podia ir com o vestido que levo aos casamentos, mas parece-me que é um destaque não desejável para uma entrevista de emprego. Acho que as lantejoulas púrpura no fundo verde florescente poderia chocar alguém. Já comecei a desunir a sobrancelha e a fazer a barba. Posso não ficar com o emprego, mas ao menos vou ter umas calças novas. Odeio comprar roupa! O vestido aqui apresentado é do senhor Christian Dior.

terça-feira, 22 de abril de 2008

Jeremias o Fora-da-lei


Lista dos meus crimes:
1. Passar fora das passadeiras (só o faço quando não existem, ou quando têm carros estacionados em cima)
2. Tirar fotocópias de livros, revistas e outros documentos
3. Copiar cds de música (este já não faço há dois anos)
4. Mentir descaradamente a dois polícias (não sei se é crime, mas fi-lo e voltaria a fazê-lo, porque tinha mesmo que ser, mas eles sabiam perfeitamente que eu estava a mentir, por isso se não nos levaram a todos para a esquadra foi porque não quiseram e assim não foi ninguém e a coisa resolveu-se sem mais problemas)
5. Invasão de propriedade (só assim posso fazer as minhas caminhadas pelo meio do mato)
6. Conduzir sem carta (que fique claro que foi num caminho sem acesso de outros veículos)
Ontem acho que foi o pior de todos, mas foi para ajudar uns amigos que estão a acabar o jardim de casa, não há desculpa, aqui vai - ajudei a roubar pedras de uma praia.
Quem acabou de ler isto já sabe com quem é que se mete, por isso não se atravessem no meu caminho! "Jeremias nunca encontrou razões para se culpar"

quarta-feira, 16 de abril de 2008



Porque ainda estou com o coração aos saltos e este foi para mim o mais emocionante depois do Portugal Inglaterra de 2004 e porque me apetece ser mete nojo!

terça-feira, 15 de abril de 2008

Se andar (e gosta disso) não se atravesse comigo.

Estou a tirar a carta de condução. Eu sei. Já a podia ter há dez anos e sei que levei quase dois anos para fazer o código. Eu sei que é muito tempo mas que raios querem vocês? Não fui daqueles tipos que mal chega aos dezoito já estão a tirar a carta. Sinceramente, a ideia de ter que conduzir nunca me seduziu. Prefiro que outrem conduza para que eu possa olhar em paz pela janela. Mas enfim. Estou a tirar a carta e conduzo até (julgo eu) bem.
Mas algo me passou pela cabeça. Quando tirar a carta, poder conduzir e fôr de fim-de-semana à minha santa terrinha onde as pessoas julgam que a estrada é o passeio e que ainda se metem a refilar se lhes buzinamos, eventualmente atropelar alguém?
Passo por cima de um tipo com o carro. E a modos que entro em pânico e faço marcha-atrás. E passo por cima dele outra vez. E depois percebo que tenho que fugir dali antes que a GNR de Mértola chegue. Meto a primeira e torno a passar por cima dele uma terceira vez. Que se lixe! É a única coisa a fazer. Qual é a alternativa? Contorná-lo? Enfim, quando vou a fugir, alguma vez pensarei no barulho de ossos a estalar e músculos e entranhas a serem esmagados ficar mais ténue cada vez que lhe passo por cima? É que já tinha duas marcas de rodados feitas.

Os instrutores nunca nos ensinam estas coisas.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Noções de Romantismo, um tratado primaveril do estado de parvo de um apaixonado

A minha noção de romantismo é a seguinte:
1. Gostar sem querer mudar a/o companheira/o
2. Passados 10 anos não odiá-la/o
3. Passados 20 anos, continuando ou não a partilhar a mesma casa, ainda falar com a/o outra/o
4. Que durante o tempo todo as pessoas ainda tenham a capacidade de rir e fazer rir a/o outra/o
Não me venham com jantares à luz de velas (até porque da última vez que fui a um restaurante com velas o meu cabelo pegou fogo, até foi engraçado, porque a culpa foi de uma senhora que estava a dançar danças tradicionais e que me puxou para a pista, tenho tanto cabelo que nem se nota nada, o chato mesmo foi o cheiro a matança de porco), flores, festas de casamento insólitas. Talvez seja demasiado cínica nestas coisas do amor, mas não tenho paciência para adereços no que diz respeito às emoções, ainda mais as íntimas.

sábado, 12 de abril de 2008

passarinha ama primavera


apreciem :)
saudações marafadas

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Porque gosto de assistir a palestras?

1. Porque gosto de ouvir as pessoas a falar com entusiasmo sobre o seu trabalho
2. Porque aprendo o que quero
3. Porque não sou avaliada
4. Porque se conhecem pessoas diferentes
5. E porque é de graça

terça-feira, 8 de abril de 2008

Cada coisa no seu lugar


Quando vi o anuncio pela 1ª vez, vi a sua figurinha parva e o seu jeito para representação, rompi numa risada tão grande que tive que entalar o prepúcio no fecho das calças para parar.
Ele sem dúvida que é um excelente jogador de futebol (além de ser mais burro que uma porta mas enfim, é jogador de futebol, não é necessário que saiba recitar Pessoa).Mas para estas coisas não tem o mínimo dos jeitos. Até o Gervásio fazia melhor.Isto não é dor de cotovelo. Eu não o odeio. Bem… Talvez um bocadinho.Limitem-se a deixá-lo jogar à bola.
Rasparta!

segunda-feira, 7 de abril de 2008

passarinha no metro: cebola ou chalota?


Gostaria hoje de partilhar convosco uma temática que pretendo vir a explorar mais tarde e com mais ênfase, mas que hoje vos lanço aqui ao estilo abstract para reflectirem no aconchego dos vossos lares (tenho um amigo que poderá reflectir na sanita pois gosta de levar para lá o portátil para engatar gajas-1 ah esse estratega virtual!). Lanço então o repto: porque é que a maioria das pessoas que andam de metro cheiram mal? É que ás 7 da manhã faz-me assim como que confusão... Ao fim da tarde também, mas é um nadinha desculpável. Dou por mim a ter este dilema continuamente, de dia para dia, sem qualquer resposta que acalme a minha sede de sabedoria infinita, sobre os cambiantes do cheiro matinal a refogado que se dilui entre as estações do Terreiro de Paço e do Campo Grande... E para quem não conhece olhem que são duas linhas distintas. Mas o cheiro é o mesmo, mais agridoce aqui, mais acido ali, sendo ceboilas ou chalotas, o pivete esse não escolhe idades! Nem dentes! Há dias em que a população de uma carruagem inteira não faz uma dentição completa... mas isso já sáo outros 500 e dá direito a um seminário de pós-graduação, tal como os cabelos e o bom gosto outlet característico no espaçamento entre as estações do martim moniz e da alameda.
Mas voltando aos cheiros...Uma outra questão intimamente ligada aos pivetes prende-se com a beleza exterior. A malta que viaja nos metros das 7 da matina não é bonita. Os únicos pobres como eu que andam a essa hora de metro e que são giros (por fora) e que não cheiram a ceboila vêm de metro porque gastaram o guito em jolas e droga... se cheirarem a refogado é do hálito das hamburgas embuchadas na roulotte em frente ao lux ou das pitas ao pé do K... ele é uma mistura de Aqua de Gio com tabacum que faz vir lágrimas aos olhos ás 6ªs de manhã... mas daquelas peles não vem cheiro a ceboila parece-me; mas lá está são os únicos giros e que estão de bom humor e o cheiro a ceboila não vem do sovaco... Por isso as 6ªs feiras são oficialmente o melhor dia para andar de metro! De manhã temos junkies bonzudos que nos fazem esquecer as ceboilas, à 6 ª à tarde é fim-de-semana! até podia cheirar aos peidos do sandes de choco numa noite de balho na Escó do Pinto! E tenho dito!

Saudações marafadas

Rodízio


Os restaurantes tipo Rodízio brasileiro são fascinantes. A ideia é comer até rebentar, mas não literalmente. Acho que as pessoas se esquecem, talvez porque estão a empanturrar-se de carne ou porque a música ao vivo "gosto muito di você leãozinho" faz com que parte do seu cérebro adormeça, que estão a correr um grande risco. Nunca, mas NUNCA num restaurante destes se poderá pedir o livro de reclamações e exigir a presença do proprietário. Vocês já viram os facalhões que os funcionários têm para cortar fatias fininhas de carne mal passada? Se os empregados têm facas daquele tamanho, imaginem a do patrão. Ontem fui pela segunda vez a um rodízio e tenho a dizer que o músico tinha uma excelente voz e as versões que apresentou eram ótpimas, mas posso acrescentar, e porque as facas estão a vários quilómetros de distância, que fora as entradas a comida era uma porcaria, o serviço mal-disposto e a banana não estava frita estava a nadar em óleo. Na verdade não gosto de restaurantes enormes, nem de carne mal passada e acho um desperdício uma voz daquelas apagar-se entre o som dos talheres e vozes altas. E agora a cereja: a minha irmã está com uma gastroentrite, mas já vesti a minha capa e peguei na minha catana e vou fazer-lhes a barba pelo recto!

domingo, 6 de abril de 2008

a passarinha vai à praia


Ao estilo old school lanço aqui o 1º de muitos possíveis episódios da vida quotidiana de uma passarinha marafada...
Domingo, dia original das ressacas. Devia ser quase um feriado. Acorda-se tarde, bezerra-se na praia ao vapor... sol e cheiro a mar... eu mereço... e comem-se os primeiros caracóis da época regados da mine e a embuchar com o panito torrado com manteiga...tou que nem posso! Faz parte da cultura tuga, e eu não nego as minhas raízes... põe isso tou praqui, qual ovo da páscoa ou perú de natal... obrigada deus meu por esta vida boa, sol e praia com os amigos de sempre e uma patuscada para rematar :) venha lá a trovoada e a chuva que com os chakras alinhados aguento com tudo!

saudações marafadas e com gases

sexta-feira, 4 de abril de 2008

O que tu queres sei eu…

Ups, e não é que ao fim de um certo de determinado tempo voltei a escrever aqui? Ah pois é, estava quase a bater o recorde do “magano” mas não aguentei. Resolvi escrever sobre o meu mais recente medo…ou cagufa…ou miufa…

É que ultimamente quando alguma rapariga se chega perto de mim na noite tenho sempre a sensação que ela está a falar comigo apenas para me levar para casa, me meter na cama e me roubar um rim. Acho que elas devem olhar par mim e pensar: “ah, este gajo até está a modos que fofinho e devem ter um interior bonito e bem tratado, por exemplo os rins!”
A sério, isto não é nenhum tipo de desculpa para a minha paixão pela parte mais romântica que existe nos bares e discotecas (o balcão) é mesmo um receio que me inquieta. Não há nada que eu preze mais que o meu interior e principalmente os meus adorados rins.
E mais, faço aqui um apelo a todos que por aqui passam: Desconfiem sempre se alguma rapariga se aproximar de vocês e vos elogiar o interior, no fundo ela está a pensar é nos vossos rins…

Ultimamente, sempre que começo uma conversa na noite se aquilo começar a aquecer e ela me convidar para dar uma volta faço sempre questão de lhe dizer que tenho pedras nos rins, que no outro dia mijei uma pedra do tamanho de um paralelo que ao bater na sanita até a deixou marcada. A sério é tiro e queda, e a reacção tem sempre provado a minha teoria, elas vão embora…mas o que é certo é que ainda tenho os meus adorados rins!

Meus amigos, o tamanho do carácter* agora já não importa, é um mito!
O que elas querem são os nossos rins…


p.h.

(*)É favor não fazer tracadalhos do carilho com a palavra carácter! Obrigado.

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Sou fã deste senhor... não há nada como cortar o mal pela raiz... agora amanha-te... manda um pombo; se for dia de caça paciência...(estes acentos ainda estão em vigor???? alguém me ofereça um cabrão dum prontuário de gramática moderna... será que ando a cometer grandes infracções ao nível do biqueiraço na gramática??????)


video


saudações marafadas

terça-feira, 1 de abril de 2008

Problemas de identidade e daltonismo



Mãe, Mãe, agora que já tenho 16 anos, posso usar soutien?
Está calado, Alberto!


saudações marafadas