segunda-feira, 31 de março de 2008

bom mas bom

Digam lá que não é criatura para dar uma martelada... ele é que tá a pedirrrrrr :)


domingo, 30 de março de 2008

Tesourinhos do corpo humano

Domingo. Acordei tarde. Tentei ver algum filme que passava na t.v. mas depois de 15 segundos de visionamento dei por mim a tentar cortar o pulso com o telecomando. Uma vez que é Domingo, é dia de banho. Levantei-me e fui para o chuveiro. Larguei uma mictadela enquanto olhava para a fantástica mistura entre água quente e urina a tornarem-se homogéneas e a serem sorvidas pelo ralo da banheira. Entretanto, encontrei algo fantástico no umbigo! Uma bola de cotão! Uma mistura heterogénea de cotão da roupa e pêlos corporais do tamanho de um Maltesers. Fantástico! Estudei-a com determinado empenho e apreciei o seu aroma.
Depois, guardei-a. Eu guardo estas coisas sempre. Ao menos, durante um bocadinho. Vocês não? Não olham para as coisas que saem de dentro de vocês? Não estão curiosos? Não passa, algum tempo a olhar para elas? A tentar compreender o que são e de onde vieram? Claro que sim que eu sei. Não se limitam a arrancar uma verruga da testa e atirá-la para o lixo. Estudam-na. Querem saber o que é.
Além disso, nunca se sabe quando vamos precisar disso tudo. Não é verdade? Já viram aqueles tipos que levam anos a fio à espera de um transplante de rins? Ou de um pulmão? E eu digo: «Tenho peças extra em casa! Tenho uma caixinha cheia de órgãos quase novos. De que precisam? De uma unha do pé? De uma orelha? Que tal um escroto usado mas como novo? Hã? Escroto caucasiano, um único proprietário, em bom estado. Só os coçou aos Domingos (ou seja, depois de acordar)».

Enfim, o corpo humano é fantástico. Aliás, vem-me à mente uma analogia entre o ralo da banheira e o umbigo. É fantástico como tanta coisa vai lá parar.

trocaram as horas???

Ontem/hoje (ainda estou meia trocada das ideias) mudou a hora... raios partam...quem teria sido o labrego que achou isto uma boa ideia... não sou fã de domingos por natureza, e de domingos em que muda a hora, sejamos sinceros...gamam uma hora de curtição e rambóia nocturnas e o almoço domingueiro transforma-se em pequeno almoço que é um ápice... ah e tal acordei agora e tive de embuchar um cozido que até andei nas horas... santíssima virge do horário trocado... assim não há condições e depois acabas por nem ter a noção das horas porque ontem ás 20 horas era de dia, hoje exactamente à mesma hora o sol ainda não se pôs... (será que este acento ainda se usa...quais os acentos que ainda se usam???? porra! felizmente porra não tem acento...)
Fora os horários manhosos ainda consegui ir rebuscar ao fundo do baú algum sentido de humor depois de quase ter brincado à Mary Poppins numa esplanada, pensado que o sol trazia lufadas de primavera... uma verdadeira trapaça, pois o vendaval que se avizinhou ia levando famílias felizes na caçarola como se não houvesse o amanhã. e dei por mim mais meia dúzia de resistentes numa esplanada só para nós...ahhhhhhh bueno! E é esse bom humor que me faz querer deixar-vos uma ajudinha naquilo que é o desvendar de alguns mistérios que caracterizam a diferença entre machos e fêmeas... Para as moçoilas será apenas o constatar de factos, para os moçoilos se calhar vai dar uma ajuda já que o manual feminino por muitos quase equivalente ao Graal foi queimado pela inquisição a pedido de D. Manuel I!!!! (eu não disse que isto de mudar a hora ia ter consequências...) Aqui fica o presente...usufruam da melhor forma:

DICIONÁRIO FEMININO


Sim. = Não.

Não. = Sim.

Talvez... = Não.

Não sei se será assim. = Vai ser como eu quero.

Nós queremos. = EU quero.

Faz como quiseres. = Vais pagar muito caro por isto!

Precisamos de conversar... = Agora vais ouvir.

Vai em frente. = Não quero que vás.

Não estou chateada. = Lógico que estou chateada.

Sê romântico, apaga as luzes... = Sinto-me gorda.

Esta cozinha não dá muito jeito = Quero uma casa nova.

Até que ponto me amas? = Fiz algo que não vais gostar de saber...

Estou pronta num minuto! = Tira os sapatos, escolhe um canal de TV e
relaxa.

Estou gorda? = Diz que estou bonita.

Precisas de aprender a comunicar. = Concorda sempre comigo.

Não estou a gritar! = VOU PARTIR ESTA MERDA TODA!




DICIONÁRIO MASCULINO

Estou com fome. = Estou com fome.

Estou com sono. = Estou com sono.

Estou cansado. = Estou cansado.

Queres ir ao cinema? = Vamos dar uma queca ?

Posso convidar-te para jantar? = Vamos dar uma queca ?

Posso ligar-te? = Vamos dar uma queca ?

Queres dançar comigo? = Vamos dar uma queca ?

Bonito vestido! = Que decote! Vamos dar uma queca!

Pareces tensa... Deixa-me fazer-te uma massagem. = Vamos dar uma queca.

Estou chateado. = Vamos dar uma queca.

Amo-te! = Vamos dar uma queca, agora!

Vamos conversar... = Vamos dar uma queca...

Queres casar comigo? = Não quero que andes por aí a dar quecas com
outros.

Gosto mais desse... = Qualquer vestido serve, vamos dar uma queca duma
vez!

Saudações marafadas domingueiras e de horário suspeito

sábado, 29 de março de 2008

Contrastes


sexta-feira, 28 de março de 2008

A arte da pedagogia, augurtes e pombos


Boas tardes caros leitores!!! Então como vai essa vidinha?
Por aqui cá se anda, com olhos e ouvidos entupidos de informação sobre putos que agridem profs só porque estes decidem tirar-lhes o tmv na sala de aula...que raio de indecência da senhora professora... como é se atreve a interromper assim um telefonema da menina Patrícia, essa querida bem comportada, que só queria atender a chamada à mãe garantido que já tinha lanchado os augurtes com bifinhos activos lá dentro... (sim porque é que acham que as miúdas de hj em dia vestem sutiãs 95 C...) . Seja como for estes professores de hoje em dia já não respeitam um telefonema privado... e por falar em pedagogia, deixo-vos aqui uma piquena história, ternurenta e dotada de um grau elevadíssimo revelador da arte de lidar com um adolescente on fire... se a mamã da Patrícia tivesse lido isto há mais tempo de certeza que já não precisava de lhe ligar para saber se lanchou os augurtes, e se fosse na minha altura, tinha enviado um pombo...

A carta


Um pai entrou no quarto da sua filha e encontrou uma carta sobre a cama
que
dizia o seguinte:

"Queridos pais
Com muita pena vos digo que fugi com o meu noivo, encontrei o amor da
minha vida. Estou absolutamente fascinada com os seu piercings, cicatrizes e
tatuagens. Mas não é só, estou grávida de gémeos. Aprendi também que a
Marijuana e a Cocaína não fazem mal a ninguém. Sé rezo que a Ciência
encontre a cura da Sida, o Joaquim merece. Não se preocupem com o
dinheiro, o Joaquim conseguiu que entrasse em filmes com outros amigos, posso
ganhar EUR 50,00 á Hora, se for com mais de três homens são EUR 200,00, e se
entrar o Pastor Alemão do Joaquim são EUR 300,00.
Não te preocupes mãe. Já tenho 15 anos e sei cuidar de mim mesma... Com muito carinho, a vossa querida filha.

Ps : Pai, é uma brincadeira, estou a ver televisão na casa da vizinha, só
queria mostra-te que ha coisas piores na vida que as minhas notas"

Resposta de pai :

"Dei a carta a ler à tua mãe, teve um AVC e foi internada de urgência,
está entre a vida e a morte. Por causa disso e a conselho dos advogados foste
retirada do testamento. Todas as coisas do teu quarto foram doadas e
também mudamos a fechadura da nossa casa. Não tentes fazer pagamentos por
multibanco, porque a Conta foi cancelada. Demos também baixa do teu
telemóvel. Demos também a tua colecção de CDs ao anormal do 5º andar.
Podes começar também a pensar em trabalhar, com a tua idade e com esse corpinho
estou certo que trabalho não vai faltar, apesar da concorrência das
brasileiras.

Enfim, espero que sejas muito feliz na tua nova vida


PS : Filha querida , claro que é tudo uma brincadeira, a tua mãe está aqui
comigo a ver a novela.

Só queríamos mostrar-te que há coisa bem piores que passares as próximas
4 semanas sem sair de casa, sem ir à Internet e sem ver televisão por causa
das tuas notas e da tua brincadeira."


Nota: Quando for grande quero ser assim, para ter a certeza que o meu rebento de soja não anda por aí à solta a espalhar o terror no youtube e a meter a coitadinha da Lurdinhas em mais sarilhos de perguntas difíceis de responder por causa do malvado estatuto do estudante...mas isso são outros 500 e fica para outra altura...


Saudações marafadas

um miminho de boas noites vá...

Não resisto a deixar-vos uma imagem fofa antes de ir botar uma orelhita em cima da outra, vulto arrochar e babar a almofada... espero que apreciem :)




saudações marafadas

estreia da passarinha marafada

Boa noite mundo em geral, colegas passarinhos em particular. Hoje estreio-me como uma verdadeira "passarinha" neste espaço onde há muito percorro apenas como espectadora, comentando aqui e ali, qual beija flor depenicando uma flor de lótus!!! Sempre pensei que um blog nos dá asas para voar onde nem sempre conseguimos fisicamente, exprimir a nossa opinião, rompermos barreiras e fronteiras, e dizermos cocó como se não houvesse o amanhã... e é por isso que aqui estou. Não vos querendo entediar com um discurso paradigmático acerca da quantidade de coco que irei debitar neste blog ao longo da minha estadia, deixo-vos uma fábula para que possam reflectir e quiçá debater mais tarde no seio dos vossos lares ou em tertúlias reunidas para o efeito.

A Fábula da RATA


Uma rata preparava-se para comer uma mosca, quando um mocho que
observava a cena lhe disse:

- Rata, não comas já a mosca! Espera que a abelha a coma, depois tu
comes a abelha. Ficarás melhor alimentada.

Então a abelha comeu a mosca. A rata preparou-se, então, para comer a
abelha, mas o mocho interrompeu-a novamente:

- Rata, não comas a abelha, ela vai ficar presa na teia da aranha e a
aranha vai comê-la, então tu comes a aranha e ficarás melhor
alimentada.

A rata de novo esperou. A abelha levantou voo, caiu na teia da aranha,
veio a aranha e comeu-a. A rata preparou-se para saltar sobre a
aranha, mas de novo, o mocho interveio:

- Rata, não sejas precipitada! Há-de vir o pássaro que comerá a
aranha, que comeu a abelha, que comeu a mosca. Comerás o pássaro e
ficarás melhor alimentada.

A rata, reconhecendo os bons conselhos do mocho, aguardou. Logo após,
chegou o pássaro que comeu a aranha.

Entretanto, começou a chover, e a rata, ao atirar-se sobre o pássaro
para o comer, escorregou e caiu numa poça de água.


Moral da história:

Quanto mais duram os preliminares, mais molhada fica a rata.

Por hora é tudo, um grande bem aja a todos
Saudações marafadas


PS: e vivam as varadas no lombo com vara de aloendro já dizia a minha avó!!! isso é que era pedagogia!!!

quinta-feira, 27 de março de 2008

A moça passarinha

Boa noite mundo em geral, colegas passarinhos em particular. Hoje estreio-me como uma verdadeira "passarinha" neste espaço onde há muito percorro apenas como espectadora, comentando aqui e ali, qual beija flor depenicando uma flor de lótus!!! Sempre pensei que um blog nos dá asas para voar onde nem sempre conseguimos fisicamente, exprimir a nossa opinião, rompermos barreiras e fronteiras, e dizermos cocó como se não houvesse o amanhã... e é por isso que aqui estou. Não vos querendo entediar com um discurso paradigmático acerca da quantidade de coco que irei debitar neste blog ao longo da minha estadia, deixo-vos uma fábula para que possam reflectir e quiçá debater mais tarde no seio dos vossos lares ou em tertúlias reunidas para o efeito.

A Fábula da RATA


Uma rata preparava-se para comer uma mosca, quando um mocho que
observava a cena lhe disse:

- Rata, não comas já a mosca! Espera que a abelha a coma, depois tu
comes a abelha. Ficarás melhor alimentada.

Então a abelha comeu a mosca. A rata preparou-se, então, para comer a
abelha, mas o mocho interrompeu-a novamente:

- Rata, não comas a abelha, ela vai ficar presa na teia da aranha e a
aranha vai comê-la, então tu comes a aranha e ficarás melhor
alimentada.

A rata de novo esperou. A abelha levantou voo, caiu na teia da aranha,
veio a aranha e comeu-a. A rata preparou-se para saltar sobre a
aranha, mas de novo, o mocho interveio:

- Rata, não sejas precipitada! Há-de vir o pássaro que comerá a
aranha, que comeu a abelha, que comeu a mosca. Comerás o pássaro e
ficarás melhor alimentada.

A rata, reconhecendo os bons conselhos do mocho, aguardou. Logo após,
chegou o pássaro que comeu a aranha.

Entretanto, começou a chover, e a rata, ao atirar-se sobre o pássaro
para o comer, escorregou e caiu numa poça de água.


Moral da história:

Quanto mais duram os preliminares, mais molhada fica a rata.

Por hora é tudo, um grande bem haja a todos
Saudações marafadas


PS: e vivam as varadas no lombo com vara de aloendro já dizia a minha avó!!! isso é que era pedagogia!!!

Olha que.. .que.. .que...




Eu garanto-vos uma coisa. Se eu fosse o professor dessa aluna nesta situação, eu poderia nunca mais dar aulas em Portugal mas fazia o gosto à mão. Mas era com as costas da mão e com força de modo a que lhe saltassem alguns dentinhos de leite. De preferência os incisivos do maxilar superior. Três ou quatro rotativos bem dados e ficava tudo calmo. Aliás, penso mesmo o que falta no ensino e no país é a falta de rotativos. Não há nada que não se resolva com porrada.
Nunca devemos desprezar o poder de um valente bofetão bem aplicado no focinho do nosso opositor.
Antigamente nem piavam e agora fazem coisas destas.
Mas olha que… que… que…

quinta-feira, 20 de março de 2008

Olhe desculpe podia dizer-me onde é que fica Portugal?


quarta-feira, 19 de março de 2008

EMPREGO II - O Padrinho


Há muito ruído de comunicação numa cidade pequena. Ontem fui informada que fui a uma entrevista e que o emprego é meu. O que é interessante é que eu não fui à dita entrevista, nem sequer me tinha candidatado a esse emprego. Hoje dizem-me que não preciso ser entrevistada. Querem oferecer-me o emprego via cunha. Não muito obrigada!
"Quando encontrares um porquinhe ata-o com um baracinhe!" Traduzindo de algarvio para português- agarra as oportunidades! Não é orgulho é consciência social. Ninguém se importa com as pessoas que foram de facto à entrevista, que têm certamente muito mais experiência do que eu? Não entendo...

terça-feira, 18 de março de 2008

Não me venham com o anti-natural!

Existem casais que são de direita, salazaristas, racistas, homofóbicos, e que têm filhos de esquerda, anti-fascistas, pretos e homossexuais. Por isso a adopção (ou adoção) por casais homossexuais, de preferência pretos e ciganos, é uma boa ideia. Imaginem a quantidade de hooligans fofinhos que iriam povoar o nosso Portugal.
Porque raio é que homens com homens e mulheres com mulheres não podem casar e ter filhos? "Porque é anti-natural" gritam as beatazinhas que se casaram grávidas de bastardozinhos filhos de homossexuais. Já assisti a casamentos de mulheres com bestas quadradas e de homens com cabras e isto é visto como coisa natural. "Ah, mas isso é uma questão de personalidade e não de sexo!". Pronto com um argumento destes há que recolher o vómito largado entretanto no passeio e voltar para casa. Só mais uma coisa acerca da anti-naturalidade: a pílula contraceptiva, o preservativo e todas as formas anticoncepcionais (aqui os pês são mudos ou não?) não serão anti-naturais? Deixem de usá-los e disparem crianças às cinco e seis de cada vez cá para fora!
Não é proíbido que heterossexuais sejam solteiros e não tenham filhos, apesar de socialmente ainda haver reviramento de olhos críticos a isto (eu sei do que falo), também não deveria ser obrigatório que homossexuais sejam solteiros e não possam ter filhos. A coisa vai mudar, mas há muita gente que gostaria de ter a liberdade de escolha AGORA e não tem.

domingo, 16 de março de 2008

JUNO


Diverti-me muito a ver este filme. O humor fez-me lembrar a Temporada de patos, apesar do ritmo ser totalmente diferente. A actriz Ellen Page é fenomenal. Os diálogos estão tão bem escritos que acho difícil não se gostar. Gostei sobretudo da não explicação de tudo que é tão comum no cinema americano.

sexta-feira, 14 de março de 2008

POLÍTICA.mente

"Atualmente é ótimo que a ação política seja eficaz. "
Acho que me vai ser um bocadinho difícil habituar a isto...
O engenheiro Sócrates, não é só primeiro ministro, é também um homem e tem amigos. Eu pensava que o Balsemão era de direita, mas se calhar o outro também é arraçado.
Luís Menezes (quando não se diz os três nomes parece que se está a falar de outra pessoa) é um apoiante incondicional do primeiro ministro, por isso é que não é oposição.
Eu já vi o Mendes Bota a comer, mas não posso gozar com isso, porque ele já me viu com um vestido vermelho, mas espera ele não faz ideia quem eu sou. NUNCA VI NINGUÉM COMER COM TANTA ALEGRIA! O dentinho quase que saltava de felicidade.
Ontem um político deu uma lição ao Herman José que me agradou. Acusou-o muito politicamente de ter dado a resposta mais política da noite. Agradou-me que toda aquela vaidade se amargurasse um bocado.
E amanhã nos jornais já se vai ler ativamente as notícias ou a passividade vai continuar?

terça-feira, 11 de março de 2008

Tradução à letra

Nós, portugueses, somos mesmo um povo singular. Cruzámos oceanos e mares nunca antes navegados. Demos novos mundos ao mundo, enchemos as carteiras de ouro e depressa o gastámos nas coisas mais parvas imaginárias. Conseguimos facilmente falar qualquer outra língua do globo assim como se esfrega um olho. Somos realmente um povo catita! Com o seu Je ne sais quoi.
Mas mesmo singular, singular são os tradutores. Estão a ver? Aqueles tipos que traduzem os filmes e que lhes traduzem o nome. Às vezes penso mesmo que eles ou são sádicos, burros ou pertencem a alguma seita que venera o caos.

Passo a explicar esta minha convicção.
Às tantas da noite (ou às poucas da manhã, não sei. Estas separações horárias confundem-me) passa uma série que até é porreira. E só poderia ser aquela hora porque toda a gente sabe que o dia é para passar telenovelas e programas Ophra wannabe. O seu nome original é Surface (superfície literalmente traduzido) mas, pasmem-se, como se chama em Portugal? Aguas Profundas! Ora que bela antítese. Mas não é apenas este. Basta que se lembrem de algum outro filme e tentem encontrar o nome dele original e vão ver que na maioria dos casos as semelhanças variam entre o 0% e 0,00001%.

Texto da Indignação

Foi impressão minha ou houve uma manifestação de 100 000 pessoas em Lisboa há quatro dias? Há quanto tempo não havia uma manifestação assim? Estive a pensar e acho que foi quando se gritou AI TIMOR! Nas notícias directos em Huelva para dizer que tinha sido por ali que a menina tinha sido encontrada morta, directos em Madrid para falar dos resultados das eleições, reportagens sobre a crise imobiliária em Espanha, reportagens sobre os portugueses jovens que vivem e trabalham em Espanha, reportagens e directos sobre a demissão de Camacho. Uma reportagenzinha ranhosa com professores escolhidos a dedo a dizerem que não estavam contra nada, ou que estavam contra tudo. Será que das 100 000 pessoas que lá estavam nenhuma sabia o que estava a fazer? Isto é que é jornalismo de qualidade e ISENTO. O João da Ega dizia: "O que Portugal precisa é da invasão espanhola!" Os jornalistas que tiraram o curso por correspondência numa semana e que leram o resumo dos Maias das Edições Europa América, não sabem, mas era uma piada! Se na Sky News ou na CNN tivessem falado na manifestação, talvez aí houvesse interesse em falar no assunto.

domingo, 9 de março de 2008

Os melhores sketches dos Monty Python


Acabei de rir com estes senhores que vieram à minha terra! Gostei muito! E é tão bom vê-los ao vivo! E o Miguel Guilherme é extraordinário! E dá vontade de pegar neles e levá-los para casa. E eu queria mais! E se os monty originais já eram mulheres fantásticas, garanto que estes não ficam nada atrás, quer na sensualidade, quer no bom gosto! E foi melhor do que pensava! E obrigada!

sexta-feira, 7 de março de 2008

A.NORMALIDADE


DEXTER. Só o genérico é um mimo (tem um pequeno erro que a minha irmã notou e muito bem, que é: depois da barba feita os homens ficam sem pêlos, mas que importa isso, é insignificante).
Há umas semanas passou, na SIC, uma reportagem sobre um rapaz que nasceu sem pernas e sem mãos. Alguém disse: "Ele é como qualquer rapaz da idade dele!" E toda a vida dele foi e é: Eu sou e quero ser como qualquer outra pessoa! E é isso que o torna tão diferente, porque a quem nasce sem diferença nenhuma aparente é oferecida a magnífica liberdade de ser diferente.
A série está cheia de bons actores, saliento Jennifer Carpenter e Julie Benz, que interpretam a irmã e a namorada de Dexter. Está muito bem escrito, a música é perfeita! Mas o que gosto mais é a tentativa de parecer normal, para que os outros não percebam. Não tentamos todos nós ser normais nalgumas coisas? Eu por exemplo nunca mais vou dizer num grupo de mulheres que não quero ter filhos. Já o fiz duas vezes e nunca me tinha sentido tão anormal.

quinta-feira, 6 de março de 2008

O fim? Será? Não me convencem...

Ultimamente tenho andado tenso. Sem apetite. Irascível. Com o sono extremamente leve assim a roçar a insónia.
Soube que os D’zrt acabaram.
Pois e sobre que coisas vais tu agora escrever?” pensam vocês. Fosse tudo assim tão simples. Eu arranjo qualquer outro assunto.
Soube através de um dos meus informadores (sim, eu sou melhor que a PIDE) que eles acabaram e que deram até um último concerto que ficou completamente atulhado de pitas esquisitas com péssimo gosto.
O pior não é eles terem acabado. O pior é que pode apenas ser fogo de vista. Uma manobra comercial. Pode apenas ser um motivo para editarem Best Off’s e Best On’s e o camandro a sete. Ou pior ainda, cada um deles enveredar por uma carreira a solo.
Enfim, o único modo de eu ter ficado realmente feliz com o fim deles seria se os tais terroristas paquistaneses que por cá andaram a fazer turismo se lembrassem de colocar uma daquelas coisitas que rebentam debaixo do palco deles. Assim sim. Eles acabavam o concerto, despediam-se e… BUMMM! Menos cinco futuros trolhas. Assim sim eu ficava feliz. Garanto até que ia depositar uma coroa de flores no sitio da benéfica tragédia e esboçar um franco sorriso.

segunda-feira, 3 de março de 2008

EMPREGO I - Deixem-me trabalhar

Um empregador quando faz entrevistas tem que ter critérios. Por exemplo numa casa de alterne a experiência pode ou não ter valor e numa entrevista não será de estranhar que se diga: ABRA AS PERNAS E DIGA AH! Mas para trabalhar como empregada de mesa será preciso a pessoa ser bonita? Isso fará dela uma melhor funcionária? Na minha inocência eu achava que existiriam outros critérios. Paciência melhores dias virão e pode ser que eu encontre uma cave jeitosa para trabalhar onde ninguém tenha que me ver e o meu trabalho, quem sabe, possa vir a ser apreciado.