segunda-feira, 27 de fevereiro de 2006

À muito que desconfiava....

Não é novidade para ninguém, que a perfeição na realidade não existe, no entanto, há imagens, tipo "Maxmen" e afins, que nos deixam a pensar: mas que saúde esta menina transborda!


Pois proponho-vos que visitem os milagres que a manipulação de imagens consegue.



Before/after

nascemos para sofrer!

Se a vida são dois dias.... mas porque raio o Carnaval são trés?

Agora entendo os que dizem: nascemos para sofrer!


Pensamentos dispersos Vol:XI (a mim ninguém me cala!!)

Gosto de comer fast food a ritmo lento.

Sou um macho alfa sob efeito de bloqueadores beta.

Imaginem 2 aviões em plena queda inevitável. Um deles é da British Airways carregado de diplomatas ingleses circuspectos e gente de classe alta. O outro, da Ailitalia está carregado por gente rude siciliana, gregos do campo e turcos vendedores de tapetes de arraiólos. À medida que os dois aviões mergulham para a morte, onde será que se ouvem os maiores palavrões e blasfémias? Duvído que seja no 1º.

Ninguém sabe ao certo quantas coisas precisamos saber ao certo. Contudo, eu garanto que são mais de 3.

«No próximo fim de semana, os escuteiros irão apanhar lixo nas auto-estradas e a despejá-lo nos rios do nosso pais. Seja solidário! Atire o seu lixo na auto-estrada! Evitemos que as nossas crianças entrem para o mundo da droga ou da prostituição de animais de companhia mantendo-as ocupadas! Já agora, se tiver ideias acerca da limpeza de rios, avise!»

Há gente a mais no mundo! Sempre houve. Quando inventarem medidas de algumas famílias terem menos de 12 ou 13 filhos, começarei a pensar em poupança de energia e começo a apagar as luzes de casa. Cada pessoa devia ter direito a apenas 1/2 filho.

Vou-me candidatar a procurador-geral da república. Se me apoiarem, prometo-vos que se fôr eleito e alguém violar a lei, irei a casa dele pessoalmente e dar-lhe-ei um encherto de porrada. Obrigado.

Porque é que se demora sempre mais tempo a ir a um sítio do que a voltar?

Os camiões dos bombeiros são vermelhos e fazem tinónim. Aprendem-se sempre coisas fantásticas no Discovery Channel.

Piaçaba anterior (como a camisola)

p.h.

Bola de Donuts de Berlim (ou a igualdade de ser diferente; ou a diferença de ser igual; ou outra coisa qualquer)

Ultimamente tenho visto na TV a publicidade aos novos Donuts Berlim... que são assim tipo Donuts, mas que sabe a tipo Bola de Berlim...BRILHANTE!
Parece que aquilo é mesmo uma bola de Berlim, mas em Donuts...entendem?!
Já há alguns vendedores de Bolas de Berlim da praia de Monte-Gordo que estão a preparar o ataque das bolas de Donuts, que é algo com o Formato de bola de Berlim mas que na realidade é um Donuts... O que é completamente diferente e sabe bem melhor!!!
Ideia aliás que eu acho fantástica, até já estou a imaginar: Bifes de Vaca em forma de Sardinha assada, laranjas em forma de bananas...Tostas mistas em forma de feijoada à Portuguesa... bacalhau à Braz em forma de ensopado de borrego...
Faz todo o sentido...
Vamos dar liberdade ao Donuts de se parecer com uma Bola de Berlim, porque isto pode ser o início da luta para acabar com os estereótipos preconcebidos em relação à comida, principalmente contra a cozinha tradicional...
A Bola também tem o direito a ter um buraco, pois isso não vai mudar a sua personalidade de Berlim!!!
Parece-me justo...por um Mundo melhor!


p.h.

domingo, 26 de fevereiro de 2006

Gajos & Gajas Vol.III

Depois de uma semana sem postar coisa alguma e me remoer na consciência devido ao facto tão lamentável, decidi escrever qualquer coisa. Noite de carnaval. Depois de ir a uma disco e ver factos veridicos e cenas de pugilato capazes de fazer corar o Mohamed Ali.
A "doença"masculina inclui a necessidade de mandar. Eu sou homem. Isto é algo generalista a velhas mentalidades que ainda hoje vingam. Mandar, mandar, comandar e controlar. Um "homem a sério" vê-se como o rei da selva, o líder da matilha, o comandante da nau. Mas, ao mesmo tempo, para se conseguir integrar no restrito grupo que usa camisas de seda com ananáses à melhor moda havaiana, tem que se comportar como os outros ditos machos latinos. Conseguir um bom emprego e uma promoção. Um porche. Uma mulher de cabelo descolorado que se apresse a trocar o porche por uma carrinha familiar com bancos rebatíveis para que possa ser igual às outras famílias enfadonhas.
A masculinidade também faz recusar a ida ao hospital ou ao médico caso engula sem querer 5 litros de cianeto e cicúta «Eu estou bem pá, afinal, ainda nem em coma estou!!!». Tem que se ignorar a dor «A sério, não estou a sangar assim tanto. Afinal, só são 6 buracos de bala e 3 de facas...»
Os pais é que ensinam estas coisas aos filhos. Chorar? Não pá! Não é de "macho"! «Filho, tás a chorar? Eu já te dou motivos para chorar a sério! É só ir buscar alí ao lado a chibata.. Espera.. Venho já!». Esta mentalidade floresce. É engraçado como não têm consciência do ridículo. Uma vez, quase me negaram a entrada numa disco porque não satisfazia táis exigências. Estava normalmente vestido como um homenzito consciênte e não vomitei à porta. Enfim...Nunca precisei de uma camísa ridícula para confraternizar com o sexo oposto. Bastou-me sempre ser apenas eu.
"Machos latinos"? Pobres coitados. Pobres estúpidos e ridículos coitados.

É por isto que não se fica em casa?!

Hoje fui ao Futebol, fui ver a minha Briosa perder com o Sporting... O ano passado vi quase todos os jogos em casa, torci e vivi a manutenção na primeira divisão, mas hoje cometi uma traição, durante os primeiros minutos de estar no estádio tive medo que a minha equipa ganhar, com os olhos com que fui olhado por levar um cachecol negro, imaginei que no final em caso de vitoria da Briosa a fúria fosse arremessada contra a minha fronha!!! Já vi muitos jogos de futebol no estádio, talvez o meu clube desperte o mesmo sentimento noutras pessoas... mas isto faz-me pensar no que realmente é o Futebol! O simples jogo de futebol...
As vezes é difícil distinguir onde acaba o amor ao desporto, ao espectáculo, ao clube e começa a raiva e o ódio aos outros, o que desperta a violência... quando depois de um golo os cânticos são para insultar um outro clube que não esta a jogar...juro que não entendo!
É por isto que não se fica em casa?!


p.h.

Noite de sábado

Está frio e chove. Fui jantar com umas amigas, estivemos a conversar de coisas sérias e coisas ridículas. É cedo, mas os bocejos e os narizes frios denunciavam a ansiedade pelo conforto do quentinho. Agora estou em casa da minha irmã que me tem albergado nos últimos tempos. Ela foi ao cinema. As noites de sábado frias não são tão deprimentes como o carnaval, mas... porque raio as noites de sábado são tão difíceis? Amanhã de manhã, não fosse o mau tempo e podia ir dar uma volta na praia, mas assim gelam-me os ossos só de pensar no ar salgado e frio. Tenho saudade do tempo em que as noites de sábado eram a loucura, agora é apenas triste não ter um filme porreiro para ver. Bem restam-me os sonhos. Vou dormir!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2006

Será menopausa?

Se é oportuno e até necessário, tirar a roupa quando estão 35ºC.......

















....alguém me explica isto???????

Mealhada - 9ºC e chuva fraca a moderada.

E o prémio: Atão sende assim tá bem! vai para...

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2006

Pequenino

"A prova de que a política desgasta é que eu antes era alto e espadaúdo"
Marques Mendes, in Sábado

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2006

Uma Sádes e uma Bóque!!!

Nos últimos dias parece que esta a haver uma chuva de cerveja, pelos lançamentos de novas marcas! (Ok, o trocadilho não foi o melhor...)
Todos os dias aparece uma nova, primeiro veio a Bohemia, depois aparece a abadia, surge a cidra, nasce a Chop... e pela mesma ordem passa-se a engarrafar tudo isto em garrafas de mini... Parece que despertamos agora para o mercado da cerveja e se eu não me engano acho que é bebida para vingar na nossa sociedade, acho!
Mas o que me custa é que ainda existe muito velhote a ser explorado atrás dos balcões dessa multinacional chamada “Tasca da esquina”....e muitos outros à frente!
Quer dizer, enquanto se pede um copo de tinto ou um branquinho não há cá problema nenhum com a raça do bicho! Mas agora com a cerveja...
Uma Mine sempre foi Mine e era sádes, já a surveja média ou era uma sádes ou uma Bóque...mas agora com este aumento de marcas de nome estranho vamos ter a burra nas couves*!
Para a cidra parece-me fácil, vai ser aquela coisa da garrafa verde que nunca ninguém provou. Já a Chop ou vai ser a surveja de maricas ou a chupi ou em alguns sítios o mijo de burra! Eu acredito mais na última....
Mas agora aquelas marcas das letras à antiga... como é que um velhote vai pedir:
-Uma Bohemia 1835 - uma vuémia daquelas que tem a data?
-Uma abadia - uma avaria daquelas que é como a vuémia?
Ou será que vão continuar com a bela da Sádes e da Bóque?
Eu não quero cá mais confusões na minha cabeça!
Não há nada como continuar no tintinho ou no branquinho...
Não há cá confusões: é do dali de Pias, de Borba ou daquele Vidiguêra que tem o gajo do chapéu... venha é chêo!!!



p.h.
* expressão que eu adoro e que obriguei o editor a incluir no texto)

terça-feira, 21 de fevereiro de 2006

dou lucro!

Ontem, uma ida ao Multibanco relembrou-me que, teoricamente, ainda sou estudante. Escusado será dizer, que a ida e consequente rasgo de lucidez, se deveu à necessidade de pagar as propinas.

Realmente dá que pensar… há um ano e tal que terminei a parte curricular, isto é, já não tenho de ir lá, isto é, já não utilizo o espaço, isto é, já não me lembro da última vez em que utilizei o mictório ou o trono de porcelana. Mas, no entanto, ainda contribuo, religiosamente, com 680euros anuais. Ou seja, se não lhes dou despesas, e pago religiosamente, DOU LUCRO!

É por isto, que não entendo os gestores das Universidades, ao ameaçarem deixar acabar o papel higiénico, por falta de verbas. Mas que grande lata, os meus 680euros, devem dar para, no minimo, um més de papel higiénico.

Assim que, no més de Março, o papel higiénico é por minha conta.


Como Uma Liberdade

«Os apelos de governos europeus para a "responsabilidade" no uso dessa liberdade de expressão são a metáfora de um complexo de culpa em relação a algum passado histórico do Ocidente que não pode ser esquecido. Mas que também não pode servir de intermediário a todas as leituras sobre o tempo presente. Qualquer vírgula colocada na liberdade de imprensa será um silêncio a mais. Pedir desculpa pela emissão de uma opinião livre publicada num jornal europeu será pedir desculpa pela Magna Carta, por Erasmo, por Voltaire, por Giordano Bruno, por Galileu, pelo laicismo, pela Revolução Francesa, por Darwin, pelo socialismo, pelo Iluminismo, pela Reforma, pelo feminismo. Porque tudo isso nos une na herança de um processo histórico que aparece agora criminalizado pela susceptibilidade de um dogma impositivo, incapaz de olhar o outro. Do mesmo modo que tudo isso nos separa daqueles que, sem concessões, reclamam uma superioridade civilizacional para a sua civilização. Qualquer que ela seja.»


Versão Original do Manifesto.


p.h.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2006

Passa a outro e não ao mesmo...

Mão amiga, e preocupada com os direitos das aves, enviou-me a seguinte mensagem:

Caso se encontre alguma ave morta na via pública deve-se avisar de imediato
a Inspecção-Geral de Veterinária para recolha e posterior análise do animal
e NUNCA TOCAR no mesmo. Falamos de pardais, pombos, perdizes, garças e
principalmente patos, cegonhas e gaivotas, os mais prováveis portadores do
vírus da gripe das aves. Para tal, aqui fica o contacto - Por favor
divulguem.


LINHA VERDE DE EMERGÊNCIA DA GRIPE AVIÁRIA

800 207 275 - dias úteis das 8:00 às 20:00

cenega@dgv.min-agricultura.pt

Quanto ao conteudo da mensagem, duas coisas me apraz dizer: estou inteiramente de acordo que até a mais insignificante ave, merece um serviço fúnebre digno; ler a primeira frase da mensagem é literalmente de tirar o fôlego, chiça, trés linhas de apneia.

E SE...

... numa reunião de altos líderes mundiais aparecesse uma fada madrinha, vestida de côr-de-rosa, muito rechonchuda, com ar de avózinha, que dissesse:
- Concedo-vos 3 desejos!
O que aconteceria?

Lágrimas de crocodilo!

Ver um filme lamechas com uma cambada de marmanjos a vegetar no sofá é um sacrifício! É que mesmo que aquilo não puxe à lágrima todo o gajo que é gajo de cinco em cinco minutos tenta dizer uma piada ou faz que esta a chorar... eu as vezes acho que isso é o medo de nos concentrarmos no filme para não chorar mesmo! Cambada de Maricões... Ou então é a minha natural tendência para a estupidez!
A verdade é que para algumas pessoas é difícil estar mais de 28segundos sem dizer porcaria e se não nos concentramos no filme é mesmo porque não conseguimos!
Eu não tenho problema algum em assumir que durante muitos anos a televisão passava programas que me faziam amaricar ou lavar em lágrimas! Quem nunca chorou depois de ver o feijão a crescer...a crescer e a iludir-nos que ia dar um belo desenho animado e era o raio do 70x7. Ou então com aquele agente Zero ou como ele se chamava, aquele que atendia o telemóvel que era o seu sapato!
Mas o meu maior trauma de ir as lágrimas com um filme ou série tinha de estar relacionado com o Amor... O filha da mãe do Barco do Amor, quando aquela treta ganhava o agora escolha, aquilo é que era soluçar!!!

Aquilo é que era penar...naquele tempo!!


p.h.
Ok, eu assumo... Hoje vi o sweet november, outra vez! A moçoila é mesmo...airosa!

domingo, 19 de fevereiro de 2006

Preocupações

«Eu tou aqui cara#&! Fod&!!§»

Ando preocupado. Tão preocupado que até fico sem sono a meio da tarde. A razão da minha preocupação? Algo que nos afecta a todos: Anúncios televisivos. É incrível a quantidade de "merdum estupificante" que se pode encontrar nestes.
No último anúncio da Evax, surgem duas irmãs chamadas Mais... Mas... Mas... Ok... Sem dúvida que é um nome de família estúpido e parvo q.b. Mas porquê Mais? E que aconteceu aos nomes portugueses? Porque não Irmãs Fonseca? Irmãs Gregório? Irmãs Santos? Enfim.
Outro anúncio que me tira o sono é um anúncio de um banco. O anúncio não tem nada de estúpido. É um anúncio que nos remete para a linha S.OS. solidão (ou quase). No dito anúncio, surge, o já por sí assustador, Pedro Abrunhosa a cantar «Eu estou aquí, eu estou aqui, eu estou aqui, eu estou aqui» incessantemente que dá vontade de dizer: « ...da-se pá! Já ouvi! Agora cala-te um bocadinho pá. Chíça..». O que me parece estranho é que ele está rodeado de gente com aparência feliz, e, ele, coitadito, com aquela carantonha de quem foi encontrado debaixo do caixote do lixo de uma clínica de abortos de Badajoz, tristonho e sozinho no meio de tanta gente. É das coisas mais lixadas que pode acontecer a alguém estar sozinho no meio de uma multidão. Acho que ele anda triste. Acho que é solidão.
Da próxima vez que encontrar o Abrunhosa na rua, não lhe bata palmas, não o cumprimente, não lhe peça autógrafos. Dê-lhe antes um valente xi-coração. Faça alguém feliz nem que seja por um momento, como sempre digo, uma boa acção não custa (pelo menos, durante os primeiros 1,2 milésimas de segundo)..
Porque a solidão existe.

sábado, 18 de fevereiro de 2006

Piaçaba da Semana

Já devem ter dado conta que a barra de lado está um bocado assim a modos que avantajada para o mais maior grande... Começou hoje o “Piaçaba da Semana”.
Vamos tentar responder a todas as dúvidas e fazer todas aquelas perguntas incómodas que mais ninguém tem a coragem de fazer! esperamos pela vossa ajuda para tornar o Mundo mais claro e esclarecido...

Quem Futuro para os pensamentos dispersos?

Os resultados são apresentados com rigor na próxima sexta feira!(ou num outro dia qualquer)


p.h.

Mina de S. Domingos

Estive dia 16 no ninho dos passarinhos, andei pela Tapada Grande a tirar umas fotografias e a fazer umas anotações. Tive a oportunidade de ver ao vivo a placa a dizer Mina de São Domingos com a respectiva cicatriz do balázio.
Gostei muito da forma violenta como a população se revolta contra o presidente da Câmara de Mértola:
" Sr. Presidente da Câmara de Mértola andamos a pagar os esgotos há meses, quando é que os podemos uZar?"
Se calhar foi algum gorila do presidente da câmara que foi dar um tiro na placa, afinal isto de se tratar o presidente só por senhor é uma falta de respeito.
Adorei um motociclo amarelo com um volante de Harley!
Gostei muito da vossa terra!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2006

Se a beleza matasse...

Acho que não é justo que as mulheres feias possam fazer operações plásticas e ficarem com bom aspecto. Se alguém nasce feio, deve-se manter assim. Não acho bem que as pessoas possam melhorar o aspecto. É arrepiante pensar que, um dia, podemos estar a confraternizar com uma mulher qualquer que conhecemos só porque achámos linda e, lá no fundo, ela é feia comós cornos. Pode ter mudado o nariz, os lábios, os olhos, pode ter sido esticada, alisada, lipoaspirada, lavada a seco... E o cirurgião pode ter feito um rico serviço (sem exageros) e agora ela está um espanto! Mas lá no fundo, ela continua a ser horrenda e a verdade é que estás a confraternizar com uma aventesma. Alguém a quem nem pedias para te trocar 1 euro se visses como é realmente. Não está certo. A feiura devia ser coisa permanente.
Peço desculpa. É a minha contra-resposta ao dia de S. Valentim.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2006

Pensamentos dispersos Vol:X (dedicados ao S. Valentim)

Ando desgostoso de amor. A minha ex nunca mais me falou. Nem a mim nem a ninguém. Porquê? Uma combinação de sintomas. Solidão, desgosto e um tiro na cabeça.

Um incêndio gigantesco lavrou numa casa de familia enquanto estes viam o AB-Sexo. Todos morreram. O incêndio foi provocado por velas anti-stress. Irónico?

Mau é julgares ser alto e descobrires que afinal és 2 anões.

Será que o vinho era realmente o sangue de Cristo? É que se era, rezo pelo Seu fígado.

A opinião geral está errada. A ideia de um assassino não é matar as pessoas. É não as deixar viver mais tempo.

Nunca se esqueçam: Um bom pequeno almoço é o início de um bom dia. Um mau pequeno almoço é o início de uma indegestão, num caso de ser um pequeno almoço assim-assim, poderá ser o início de uma valente azia. Louvado seja o Kompensan ( passo a publicidade).

Não sou xenófobo. No entanto, não gosto de pessoas suíças. Nunca olhei com bom olhos pessoas que fazem buracos no queijo.

Nunca fume em cima das linhas de ferro de costas viradas para um combóio em andamento. Fumar mata!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2006

Imagens Horríveis

Ana Sousa Dias:"os últimos acontecimentos..."
Marcelo Rebelo de Sousa: "pois ... bla, blá, blá, são imagens que a ser verdadeiras são horríveis, vamos já ver a seguir para comentar, blá, blá, blá..."
São imagens que a ser verdadeiras são horríveis? Está bem! O que gostei mesmo foi dos comentários orgásmicos de um qualquer militar britânico.
Imagens com dois anos reveladas na melhor altura! Acho que vou começar a construir o meu bunker...

domingo, 12 de fevereiro de 2006

Pensamentos dispersos Vol:IX

Sabem o que não consigo perceber? Pessoas que vão pela rua a ter uma conversa de trampa ao telemóvel. Coisas sem interesse nenhum. Pela rua, a passear. Devia existir uma comissão de censura para isto pá.

Quem é que é o telefonista na Liga Portuguesa de Paraplégicos?

Não tenho acções de grandes empresas nem títulos do tesouro. Todo o meu dinheiro está ocupado em dívidas.

Estão a ver aqueles traços que estão no meio das estradas? Já alguma vez os contaram? Experimentem contar e verão que há 100 traços em 1,5 Km. Contem-nos e olhem para o conta-quilometros sem prestar atenção ao camião TIR que está atravessado na estrada à vossa frente. A indústria automóvel, a de próteses, agências funerárias e bate-chapas agradecem. é Bom pensar nos outros. Uma boa acção nunca foi de mais.

Mau é, em criança, ser acariciado por um violinista e viver o resto da vida com um medo irracional de instrumentos de cordas.

Mau é parar em frente a uma sex-shop durante um furacão e morrer esmagado por um vibrador em néon.

Há algo que me intriga: nunca ví uma equipa de limpeza a limpar uma igreja. A limpar o pó às imagens e a varrer o altar. Acho piamente que é milagre. É a coisa que faz das igrejas realmente igrejas. Passo a explicar: depois de construirem uma igreja, esta é fechada durante 6 meses. Depois, espreitam lá para dentro. Se estiver limpa é porque é realmente igreja. Mas aqui para nós, acho que fazia falta um pouco de limpa-vidros nos vitráis. Sempre dava para realçar as cores bonitas que usam para mostrar a tortura e sofrimento dos santos.

Porquê existem dez mandamentos? Acho que é mandamento a mais. Se a igreja cristã quisesse ganhar uns cobres, sempre os poderia vender. Quiçá até no e-Bay?

«Junte-se a nós mais uma vez amanhã para mais um capítulo de «O Rodar da Poia» em que Joselinho decide ser carteiro para ter selos à borla»!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2006

Histórias da humanidade: O homem, esse animal!

Acho que os homens só têm um problema sério: os outros homens. É aí que começam os problemas todos. Há muito tempo atrás, os homens abdicaram do poder. Deram-no a outros homens - reis, feiticeiros, príncipes, generais e sacerdotes. Começaram a engolir tudo. As lérias todas. Os homens engolem todas as lérias desde que estas venham de outros homens.
Um desconhecido qualquer levantou-se quando estava à volta da fogueira e disse: «Ora bem rapazes, a partir de agora sou o vosso rei. O sol é meu pai, a lua minha mãe e são eles que me mandam atirar virgens para dentro do vulcão, esventrar e empalar os inimigos, comer de boca aberta e usar estas tangas ridículas. Espero que comecem a fazer vénias quando me virem passar e dar-me-ão metade das vossas colheitas. Além disso, posso ir para a cama com as vossas mulheres. E não se esqueçam, se me apetecer, posso concentrar-me com força e fazer-vos explodir a cabeça».E os outros homens à volta da fogueira acenaram com a cabeça e disseram uns aos outros: «Este tipo sabe o que diz».Os homens engolem sempre as balelas. Porque os homens não são muito espertos. Custa-me a admitir.

Diário de um pedófilo

Querido diário:
Hoje, depois de ter ido tomar o pequeno almoço no café da rua, encontrei um antigo colega da escola, conversámos durante algum tempo. Foi bom recordar os velhos tempos. Depois fui deixar os miúdos na escola e fui trabalhar. Foi um bom dia, mas fiquei com vontade de tirar férias mais cedo este ano, falei com a minha mulher e estamos a pensar ir ao Algarve, eu preferia ir à Madeira, mas ainda temos algum tempo para decidir.

Que desilusão!

Mas que grande desilusão!
Então o Presidente da República foi ao concelho de Nelas, e a malta de Canas de Senhorim, em vez de lhe dar o enxerto de porrada prometido, fez 1 minuto de silêncio!
Mas porque raio, é que não “partiram prá ignorância”?

Será que o povo português, só gosta de bater no Mário Soares?

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2006

Pensamentos dispersos Vol:VIII

Gostava de ter sido escuteiro mas não tinha a personalidade certa. Eles andavam à procura de meninos leais, confiáveis, prestáveis, amigáveis, corajosos, limpos e bem cheirosos.
Infelizmente, eu, na altura, era maldoso, malcriado, hostil, desafiador, taciturno, sujo e sacrílego. Esperei uns anos e entrei para a universidade. Nunca fui molestado por padres.

Porque razão não deixam os escuteiros gay juntarem-se às escuteiras? Que raio, temos dois grupos. Porquê não simplificar?

Algo que pensar: muitas vezes o ambiente campestre foi cenário de inúmeras batalhas. Parece que estou a imaginar um soldado a acordar na sua tenda. Olha em redor e o agradável calor primaveril aconchega-o. As flores estão todas magníficas. Os pássaros cantam dando uma sensação de reconforto. De repente, uma bomba de 5 kg acerta-lhe em cheio na cara. Dá que pensar.

Há por aí muita pita esquisita.

Sempre que alguém me diz que vive num condomínio fechado, penso em Auschwitz.

Gostava de saber no que pensa um sapo quando atravessa a estrada e vê um carro ao longe.

Nunca espete uma agulha de tricotar no olho e não a mova com movimentos para dentro e fora. Não lixe os olhos, São essenciais para ver.

Sabem o que é moral? Comer carne apenas se o animal ter morrido durante o sono.

Adoro animais. Os meus preferidos são o bife e a costeleta.

Aviso para colocar nas drogas: Consuma muito disto e é provável que quando acorde e encontre um dedo humano, um maço de dinheiro turco na algibeira e uma foto de um presidiário chamado Tony. A foto terá a inscrição: «Para o Zeca, a minha nova patroa».

Nunca tente atravessar a linha férrea quando um comboio esteja próximo.

Os Compadres I

O velho Armando

Quando o agente Horácio saiu do café, mesmo antes de subir para o seu tractor, um velho agarrou-o por um braço e disse:
-Nouves, Abel e Caim, se há coisa maior do que o amor de um irmão é o ódio! Na se esqueça do que é cá lhe tou dizende!
Uma mulher aproxima-se a correr.
- Atão pai, vomeceia deixou-me cá num desassossegue, vir assim sem mais nem menos à rua!
E semiarrastou-o para casa sempre a ralhar como se o velho fosse o miúdo.
No entanto dois pensamentos estavam a rondar Horácio: o irmão de Carlos Fisgada parecia-se muito com alguém que ele conhecera há mais de 30 anos e
- Mas que pôrra de esquecimente este o dos ócules!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2006

Pensamentos dispersos Vol:V II "Para o Infinito e mais além!!"

No futuro, a vida humana vai ter uma duração média de 200 anos. Os últimos 150 vão ser marcados por dores e tristezas insuportáveis.

No futuro, ninguém terá animais de estimação, contudo, ainda será possível pisar "merdum" de cão nos passeios.

No futuro, a velocidade de rotação da terra vai aumentar 5,7% e todas as pessoas com menos de 1,50 m serão lançados ao espaço.

No futuro, surgirá uma sociedade utópica governadas por mulheres, no entanto, alguns homens ainda se vão comportar como sacanas machistas.

No futuro, os malucos deixarão de viver em asilos especiais, passando a ser exibidos nas montras das lojas. Essas lojas passarão a chamar-se "Casas de Pirolitos".

No futuro, as pessoas irão mudar de roupa de 30 em 30 min., contudo, nunca estarão felizes com a sua aparência.

No futuro, todas as partes do corpo passarão a ser substituíveis em caso de acidente ou doença, no entanto, é necessário pedi-las com 5 meses de antecedência além de preencher no dia do acidente os papéis em quadruplicado.

Prémios

Para quem pensa que os blogs, apenas servem para entupir os motores de busca com lixo… e que os bloggers são uma cambada de desocupados egocentristas. Sinceramente vos digo: é mesmo isso!
Mas, se até a revista Caras entrega prémios, parece-me legítimo isto!
Pois é, diz-se que são os melhores, inclusive que há gente a fazer vida disso. Sandes, à esperança de fazeres carreira!


O PFCAD não está nomeado por pura injustiça. Até na blogosfera, Portugal é um país periférico! Mas para o ano, vamos mandar os formulários antes de fechar a repartição.


hapiness


Pode parecer ideia pirosa, ultrapassada, gasta. Mas é o objectivo de qualquer ser humano. A felicidade. Desde crianças que ouvimos as pessoas mais próximas, e todas as outras, queixarem-se dos seus azares e infelicidades ou falarem sobre aquilo que as faz mais felizes. Durante a infância somos demasiado felizes para darmos uma verdadeira importância à felicidade. Mas a coisa complica-se quando crescemos. Percebemos que a felicidade é algo mais do que ter a boca cheia de guloseimas.

As pessoas precisam de muitas coisas para serem felizes. Precisam de saúde, amor, sucesso, sorte, e principalmente de muito dinheiro. É triste e entristece, mas é verdade. Há casos graves em que o poder económico é inútil. As doenças incuráveis são disso o maior exemplo. Por mais que possa prolongar o bem-estar das pessoas, não as salva. Mas para tudo o resto há um preço. Hoje mais do que nunca, as pessoas são o dinheiro que têm. Ou aquilo que o dinheiro que têm as tornou. Parece básico mas pensemos, a cultura compra-se, a diversão compra-se, a atenção compra-se. É absurdo pensar que as pessoas são tão mais interessantes, quanto mais dinheiro têm. É uma lógica perversa. Mas tem algum sentido.

Não quero de forma nenhuma generalizar, nem será essa a visão que tenho da minha vida, nem das pessoas que dela fazem parte. Tenho a sorte de estar rodeada de pessoas que, independentemente dos seus grandes ou reduzidos recursos financeiros, são imensamente humildes. Mas na nossa sociedade, e muitas vezes, nas comunidades em que nos inserimos, é possível reparar na importância do factor capital. E como as relações sociais se baseiam em estatutos.

O dinheiro parece ser o fio condutor da felicidade no nosso Mundo actual. E podemos ser frustrados toda a vida porque escondemos a infelicidade com dinheiro. Para comprar anti-depressivos é preciso dinheiro e os anti-depressivos são o remédio da tristeza. Será uma relação de causalidade?

Será possível ser feliz sem pensar em dinheiro? Enfim, vou comprar guloseimas.

Carlos Fisgada

Estamos em 1971 em Angola. A coluna de camiões avança, tinham partido de Luanda há semanas e ainda não tinham chegado a Malange, onde um grupo de rebeldes fazia reféns 3 homens da Força Aérea Portuguesa.
Carlos tinha saído do seu país pela primeira vez, tinha pegado numa arma pela primeira vez e pela primeira vez vira homens e mulheres negras e agora diziam-lhe que os tinha de matar em nome da pátria, palavra que ele não sabia o que queria dizer.
Aos solavancos pelo mato ele olhava maravilhado para aquele país cheio de animais e plantas. Mas o que ele mais gostava era do cheiro de tudo. Todas as semanas escrevia uma carta para a sua madrinha de guerra e namorada. Ele gostava de tudo nela, a forma como lavava na ribeira, o sorriso tímido, os beijos atrás da Ermida lá na aldeia.
Tinha saído de Lisboa há precisamente um mês. Ouve-se um estrondo e outro, gritos, Carlos levou a mão ao peito e sentiu pela última vez a prenda que Concórdia lhe tinha dado na despedida.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2006

Pequeno-almoço clássico

Na 2, dá à noite várias vezes concertos de música clássica. Cento e tal pessoas a tocar um trecho complicadíssimo mas em perfeito uníssono como se fizessem parte do mesmo organismo. Ponho-me a pensar que cada um deles acordou e tomou o pequeno-almoço numa cozinha diferente. Cento e tal músicos diferentes em cozinhas diferentes. Dou comigo a tentar adivinhar quantos comeram ao pequeno-almoço ovos mexidos e café da chocolateira, quantos terão preferido cereais? Tento descobrir se a percentagem de comedores de tostas-mistas é maior na secção de cordas ou de sopro. Pondero se os percussionistas ingerem muito café ou se, porventura, os flautistas dão preferência a infusões ou chás medicináis. Não sei porquê penso nestas coisas. Mas uma coisa é certa. Mantêm-me ocupado o suficiente para não mudar para a TVI e ver o Fiel ou Infiel.

CSI - Concórdia

Ainda no Café do Carlos Fisgada o agente Horácio dirige-se ao homem que está ao balcão:
- Ora muite bom dia, vomeceia é que é o Carles né verdade?
- Não é cá sou o Francisque, o Carles é o mé irmão gêmeo!
- O sé irmão por acase na anda por aí?
- Na senhor, foi ao Monte Alto ter com o Sarnadinha assim que soube do rapte do Cailó!
- Ora muite bem, atão sende assim é cá vou para lá, mas se por acase acontecer alguma coisa de estranhe por aqui avise logue as autoridades!
O agente seguiu como uma flecha para a Cova da Zorra, quando chegou lá já a Maria da Natevidade estava a isolar o Alpendre, para que os curiosos não estragassem as pistas.
Concórdia apertava a bainha da bata com inquietação, estava aterrorizada, não com o que tinha acontecido, mas com o facto daquela agente estar a farejar o seu alpendre. E se eles descobrissem toda a verdade, afinal o passado que ela tanto tentara esconder poderia ser agora facilmente revelado e tudo por causa do estupido do cão.
António Sarnadinha Junior olhava com admiração para a Maria da Natevidade, era a mulher mais jeitosa que alguma vez vira, era baixinha, mas um belo pedaço de mulher!
O Sarnadinha estava sentado num muro com as mão na cabeça e os olhos vermelhos, aquele era um homem em sincero sofrimento.
Carlos Fisgada estava junto de Sarnadinha e repetia-lhe: Oh pá na te preocupes que o canite ainda aparece por aí!
Ao agente Horácio nenhum destes pormenores passaram ao lado da sua mente brilhante de criminalista. Uma das coisas que costantemente ensinava ao agentes novatos era: "Quande a gente se aproxega duma cena de crime, a primêra coisa a fazer é olhar bem para quem lá está, más tarde ou mais cede isse pode ser útil!"

domingo, 5 de fevereiro de 2006

Pensamentos dispersos Vol:V I e mais um bocadito

Uma ilusão de óptica que podem testar em casa: peguem num lápiz e façam uma pinta preta numa folha de papel normal. Tapem o olho esquerdo e olhem a uma distância de 5 cm para o ponto preto. Deverão ver uma imagem do Hitler em cinto de ligas. Se não virem, , verifiquem se a folha está em condições. Ou talvez tenham feito mal a pinta.

Deviam existir livros nos W.C's das bibliotecas. Não se deve desprezar um público garantido tão numeroso.

Algo que nunca se vê: um sem-abrigo com bom aspecto.

Mal posso esperar para ver o sol explodir. E já só faltam 2 biliões de anos! Vai ser um espectáculo do caraças pá!

Há pessoas tão enfadonhas que, se alguém lhes roubasse a personalidade, já era uma melhoria!

Acho que a próxima moda das cirurgias plásticas será uma operação que dará as pessoas um sorriso enigmático. Mas se o cirurgião se distrair e a coisa correr mal, tipo um espirro e um deslize de bisturí, o paciente ficará com um ar surpreendido.

Sabem o que era catita? Transformar um lago em gelatina. Derramar lá uma quantidade industrial de gelatina em pó. Seria um pouco chato para os mergulhadores. Andariam constantemente a dar cabeçadas nos bocados de fruta.

Chato é comprar velas para o bolo de aniversário de um centenário.

Sabiam que os comboios não conseguem fazer travagens rápidas? É sempre bom saber estas coisaas.

Publicidade

Tendo em consideração as dificuldades financeiras, em que se encontram grande parte das autarquias e freguesias de Portugal, é talvez o momento de se arranjarem outras fontes de receita. Assim, como cidadão participativo, quero tornar público a minha sugestão, que humildemente considero genial: publicidade integrada no nome dos locais.

Não é uma ideia genial?
Como sei que este blog é referência para titulares de cargos publicos, a imagem exemplificativa é uma dica. Depois não venham queixar-se que o pessoal só critica!

MAOMET

Quando se instiga o ódio da forma mais desleixada e ignorante, como aconteceu com as caricaturas de Maomet, só posso pensar que estes idiotas sabiam perfeitamente que iriam ganhar umas boas massas com a publicação destes desenhos, mas que mal sabiam a revolução que estavam a criar. Receio que agora não há país na Europa que seja menos odiado. Estamos todos rotulados como anti-islamitas.

sábado, 4 de fevereiro de 2006

Memórias de uma Gueixa

Este filme é um assombro estético! Tem imagens de cortar a respiração, saliento duas, mas podia ficar aqui o dia todo: logo no início um caminho que segue entre árvores tombadas; e a corrida da personagem principal num corredor de colunas de madeira pintadas de vermelho e preto.
A última vez que vi este cuidado estético/poético foi em "The thin red line".
Este é um filme que para ser perfeito só lhe faltava ser falado em japonês.
Numa sala repleta de gente o silêncio denunciou o assombro, não se ouvia um comentário, uma mastigação de pipocas, nada!
Que ganhe o Oscar para melhor fotografia, merece!

Já não era sem tempo...

Já não era sem tempo, já saiu a porra do euromilhões, já há aí três marretas que ganharam mais dinheiro cá óstia... Ursos!
Ok, eu sei que a inveja é feio, mas porra...
Era bom que me tivesse saído a mim, mas dado que nem joguei acho que a probabilidade se complicou...arredondou!
Uma coisa boa foi o fim do jackpot, já não vamos ter de ouvir todas aquelas conversas e sonhos descabidos que eram repetidos todas as semanas.
Cada um tentava mandar uma alarvidade maior que a do outro! E geralmente conseguia!
Mas acabou, já não vai haver ninguém a afirmar comprar a casa do Bill Gattes, uma ilha no Pacífico e um País Sul-americano....
Mas um dia vou lá chegar! Comecei por poupar dois euros por semana!!!
Já falta pouco...


p.h.

CSI - Maria da Natevidade

No café do Carlos Fisgada fez-se um silêncio gélido quando o agente Horácio entrou. Todos o olhavam, uns com respeito, outros com desconfiança, mas todos com um certo interesse. O agente aproxima-se do balcão. Uma música de shakira polifónica rompe o silêncio, Horácio atende o telemovel.
- TOU! MARIA DA NATEVIDADE, ÉS TU?... SIM JÁ TOU CÁ...POIS...ISSE MESME...TÁ BEM...NOUVES AINDA TÁS POR AÍ? AINDA BEM, TRÁS O EQUIPAMENTE E JÁ AGÓRA DÁS UM PULE NO MÉ GAGINETE E TRAZES-ME OS MÉS ÓCULES DE SOL! ... TÃO AO PÉ DA JARRA DAS MARGARIDAS... SIM ENTRE O PISA PAPÉIS DO MICKEY E AS FLORES... OBRIGADINHES, ATÉ JÁ!
Não julguem mal este agente, de facto as suas flores preferidas são as margaridas e todas as quartas-feiras vai ao mercado comprar um ramo, mas a verdade é que a florista é boa como o caldo verde numa matança de porco e ele anda a ver se consegue convidá-la para ir comer umas condelipas ao restaurante da lota.
Já agora a Maria da Natevidade é a agente especialista em balística, mas é mais conhecida por BB - Barbie Baixinha.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2006

peace of mind.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2006

CSI - Odeáxere (continuação)

O agente Horácio aproximava-se no seu tractor a uma velocidade estonteante de 40 km/hora, afinal tratava-se de uma urgência!
O rapto do cão do Sarnadinha estava na sua mente, mas algo preocupava Horácio, parecia que se tinha esquecido de alguma coisa.
Estaciona a sua viatura junto ao café do Carlos Fisgada, desce, põe as mãos na cintura, olha em volta e diz:
- Porra esqueceu-me os óculos de sol!

Por um cigarro!!!

Um gajo dormir pouco já é obra, mandar um café para dentro sem nada no estômago não ajuda, almoçar feijoada é complicado...
Lanchar uma meia-de-leite e um pastel de nata, terrivel!
Chegar ao jantar e ir à cantina voltar a comer feijoada e ainda não tendo esta chegado lá abaixo já estar a ser regada por outro café... é uma missão impossível!!!

Só posso dar graças por ter deixado de fumar... ai ai...era um cigarrinho!!!


Para todos aqueles que dizem que eu só escrevo m****, resolvi mudar de assunto...


p.h.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2006

Diálogos ao kg

Doutor: Boa tarde.

Paciente: Boa tarde..

Doutor: Então o que o traz cá?

Paciente: Bem sr. doutor, como pode ver, tenho um tumor de 0,5 Kg da forma de uma maçã reineta na ponta do nariz..

Doutor: Pois é... E tem comprimidos em casa?

Paciente: Tenho. Montes deles.

Doutor: Então tome alguns...

Portugal continua sem ter cobertura de Banda Larga a 100%


O projecto de ligação em banda larga das escolas portuguesas ficou concluído oficialmente ontem com a ligação da última escola do país a receber a actualização da sua ligação Internet através de tecnologia de banda larga.Em comunicado, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior informa que a conclusão do projecto vai ser assinalada com uma visita de vários membro do Governo à escola básica do primeiro ciclo da Oriola, no concelho de Portel.
Mas segundo fontes próximas aos PFCAD, este comunicado, não passa de uma enorme mentira, pois ainda existem varias escolas no Alentejo, sem Acesso a Banda Larga, devido a inexistência da cobertura. A Portugal Telecom foi o operador responsável pela instalação da rede nas 8.300 escolas do país depois de ter vencido concurso público lançado pelo Governo anterior.
E mais vos posso informar que pelo conhecimento até agora dado são 8292 escolas em vez do numero apresentado pelo ministérioPara cumprir as metas definidas no projecto - que apontavam para a cobertura de 100 por cento das escolas - a PT usou ADSL e o Pico DSLAM, uma tecnologia desenvolvida pela PT Inovação que veio colmatar as dificuldades sentidas a meio do processo em fazer chegar o ADSL a todas as localizações necessárias. A capacidade do Pico DSLAM para ampliar o sinal resolveu a questão e permitiu concluir o projecto, depois de alguma pressão da tutela.

E já agora para quando a cobertura total de banda larga nas escolas do Alentejo????

Medo!!

Parece que foi aprovada a nova lei da Rádio, que obriga a uma maior percentagem de música portuguesa a passar na rádio...
Desde esse dia não durmo descansado...
Para todos os amantes da música Portuguesa e defensores desta lei apenas vos relembro esta imagem!!!!
E agora pensem bem...
É que eu também gosto de musica portuguesa... mas preferia não correr o Risco deste senhor voltar a gravar um CD....
E depois ainda temos o Emanuel, o Toy, o Graciano Saga, a Dina, O Axel, a Dina...

MEDO!!!!


p.h.