quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Avaliação sim, mas assim NÃO!

Na minha opinião impessoal (se há pessoal também deve haver esta) assim que os professores são retirados das galés devem ser encaminhados directamente para a avaliação. E a minha proposta é que se comece pela avaliação dos dentes. Este processo é muito prático pois permite saber a idade aproximada do prof., bem como o seu estado de saúde! Há quem pense que é melhor perguntar directamente ao avaliado, mas quanto menos diálogo com estes seres melhor, afinal quem sabe o que se passa nas escolas, o governo ou os professores? O estado das unhas dos dedos dos pés são um indicador óptimo de sindicalismo, quanto maiores mais problemático é o animal. Acredito ainda que para os opiniosos e com ideias novas deve ser criada uma área especial com videovigilância. E sim a ideia de um director com yes profs à volta é particularmente fofa.
Quem avalia os professores universitários???? Os piores professores que tive foi na Universidade, não foi nos 1ºs ciclos nem no secundário. Respondi a dezenas de inquéritos sobre os professores e nunca vi qualquer resultado.
Dedico este amontoado de parvoíces aos melhores professores que tive na escola:
Professora Ana Quintas - Matemática
Professor Sampaio - Filosofia
Professora Octávia - Fisica e Química
Professor João Cardoso - História e Tiro com Arco

7 comentários:

pessoana disse...

Epá, com este pessoal académico tens de ser mais pezinhos de lã.

Senão ainda levas com as botas na cabeça outra vez!

Gostei do blogue!

dusty disse...

Tive professores óptimos e também apanhei autênticas abéculas. Não sei se é pior um professor que bate com a cabeça no quadro à frente de miúdos de 10 anos ou se um que circula entre as mesas durante um exame a balbuciar que andamos a chupar o dinheiro dos impostos.
Não ponho de parte a estroinice dos estudantes mas muitos professores não têm o mínimo sentido de pedagogia. Em 5 anos de universidade não me senti muitas vezes 'inspirada'.

Estela disse...

Como partilhei contigo estes professores que referes, subscrevo a tua opinião, são de facto maravilhosos, e eles nem imaginam como me influenciaram de maneira positiva. Eu acrescento ainda a Fátima Tadeu professora de Biologia e TLB, que sempre falava de tudo com paixão e que reinventava as maneiras de expicar as coisas. Obrigada a todos eles.

Trambolho ao Postigo disse...

Para ser sincera a Tadeu (que eu vá lá saber-se porquê achava que se chamava Teresa) metia-me medo... mas também o meu grupo era o Ivo e o Lígio... sim aquele que comia as experiências e claro que eu e o Ivo apanhávamos por tabela.

Estela disse...

Pois era... o Lígio uma vez comeu os espinafres cozidos que sobraram de uma cromatografia não foi? Tenho ideia que também comeu o que sobrou de um ovo cozido!!! Era para não deixar estragar... enfim há com cada um!!!!

Trambolho ao Postigo disse...

Esse mesmo, o homem com o andar mais espectacular do mundo (digno do Funny Walks Ministry. O pior é que ele comeu a parte do ovo que era para ser utilizada na experiência que estava relacionada com os processos enzimáticos da digestão...

Anónimo disse...

pa andar na rua a fazer chavascal e a beber médias de pilão já eles nã choram...

Isto é tudo muito bonito mas é no vale da burra...