quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Conversas de bancos de jardim

Jacinto: Muita coisa mudou nestes vinte anos.

Zeca: Pois foi.

Jacinto: O Epaminondas anda por ai?

Zeca: Qual? O Anastácio?

Jacinto: Não. O Gervásio.

Zeca: O Gervásio morreu. E o Anastácio morreu no funeral. Morreram os dois.

Jacinto: Então e o Manel? Como está ele?

Zeca: Também morreu. Muitos deles morreram.

Jacinto: Como é que se chamava o outro miúdo dos Epidotos? Graciano? Também morreu?

Zeca: O Graciano não morreu.

Jacinto: Graças a Deus.

Zeca: Está a morrer.

Jacinto: Porra! Que desgosto para a mãe.

Zeca: A mãe morreu quando lhes explodiu o esquentador. Ficou feita em bocados. Andaram a reuni-la durante duas semanas.

Jacinto: Chiça! Nunca me ei de esquecer da casa em que os Epidotos vivia. Uma rua agradável. Muito agradável. A casa com persianas verdes.

Zeca: Foi atingida por um relâmpago há vinte anos. Houve um incêndio e não sobrou nada. Os animais de estimação morreram todos. Até o pobre do furão.

Jacinto: Isso é terrível. Lembro-me que os Epidoto gostavam muito daquela casa porque ficava perto da Igreja.

Zeca: A Igreja da Nossa Senhora Da Imaculada Dor?

Jacinto: Sim.

Zeca: Já não existe. A Câmbra demoliu-a no passado. Foi numa sexta-feira Santa.

Jacinto: Isso é terrível. E agora onde é que os miúdos do bairro vão à catequese?

Zeca: A maior parte deles foi assassinada por um violador que trabalhava na mercearia da esquina.

Jacinto: A mercearia do Jesus?

Zeca: Não. A do Alfredo.

Jacinto: Gostava da do Jesus. Tinha sempre boa hortaliça e preços extremamente convidativos...

Zeca: O prédio caiu há dez anos e matou dezanove clientes. A família Zacarias foi toda decapitada no balcão das carnes enquanto se decidiam por uma farinheira beirã ou um paio do lombo de Barrancos.

Jacinto: Irra que os tempos mudam.

Zeca: Mas a vida continua. Ao menos até ao meu próximo exame da próstata.

Jacinto: E a culpa é do governo!

4 comentários:

Blé disse...

Um diálogo muitas vezes assistido por esses bancos de jardins por esse país fora.

efe disse...

os bancos de jardim sabem muito.

Trambolho ao Postigo disse...

UAU! A minha progenitora ao pé disto conta histórias agradáveis.

Trambolho ao Postigo disse...

UAU! A minha progenitora ao pé disto conta histórias agradáveis.