domingo, 8 de março de 2009

Sr. Empregado de balcão: Vá mas é "!#$%&"!

Senhor empregado de balcão! O meu caro amigo não devia estar ao telefone em vez de me atender. Quando eu, o cliente, me aproximo do balcão, o telefone devia ser pousado. E, se tocar enquanto me está a atender, deixe-o tocar. Depois de tocar dez vezes, atenda e, sem querer dizer «estou» diga«Estou a atender um cliente que teve a amabilidade de se deslocar pessoalmente à loja para fazer uma compra. Posso falar consigo quando a loja estiver vazia. Se quiser, pode esperar mas é possível que só esteja livre ao pôr-do-sol». Depois sorria para mim e diga:«onde íamos?». O cliente que vai à loja deve estar sempre em primeiro lugar.

Em primeiro lugar em vez de esperar uma hora enquanto a empregada discute roupa com a amiga ao telefone.

Talvez seja pieguice minha, mas eu tenho essa mania do civismo.


PS- Feliz Dia das Mulheres para as que o são, foram, venham a ser ou que pareçam (Esta parte do pareçam não é dirigido ao Cláudio Ramos).

1 comentário:

Trambolho ao Postigo disse...

E quando se pôem a falar mal dos maridos ou das doenças que têm (e com pormenores), são adoráveis!