quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Miscigenações & castanhas


"Pera ai cara! Você tem uma pestana solta! Feche os olhinhos e peça um desejo"


Há algo fantástico que adora na miscigenação de culturas e povos. Nós portugueses, somos o resultado do caldeirão da miscigenação entre Lusitanos, Celtas, Iberos, Romanos, Paleo-Cristãos, magrebinos, e, nós próprios agentes dela aquando da Expansão Marítima.
Quando colocamos um indivíduo num novo ambiente, este exerce a sua acção sobre o indivíduo moldando-o a seu bel-prazer, contudo, o indivíduo também exerce a sua acção no meio e também o molda. Digamos que é uma interacção fantástica da qual resulta um ambiente mais rico e um individuo também ele mais rico em termos culturais e genéticos. Como tal, o indivíduo irá absorver particularidades relativas a esse ambiente e por sua vez, o ambiente absorve particularidades do indivíduo. Trata-se de um processo muito dinâmico mas um tanto ou quanto lento.
Bem, resumindo, fiz esta conversa toda para explicar o motivo pelo qual vemos tipas de biquini a sambarem com chuva e temperaturas quase negativas nos Carnavais desse Portugal fora e qual a razão que levou o Scolari a ter tal atitude ao dar a provar ao Dragutinovic o nosso melhor prato típico português servido desde tempos imemoráveis desde que um tipo se zangou com a mãe e decidiu fundar um pais: a castanha.

2 comentários:

dusty disse...

haha.

Nuno Carvalho disse...

Olha que as castanhas tb são muito apreciadas pelos gaúchos...

O homem está em casa...