quinta-feira, 15 de março de 2007

Abaixo os jogos de ping-pong burocráticos!

sábado dia 10 de Março pling ideia
domingo dia 11 de Março pling, pling, pling muitas ideias complementares da ideia base.
2ª feira dia 12 de Março:
Eu- Estou sim, bom dia é para marcar uma hora com o Sr. Vereador da cultura e do desporto , por favor
Telefonista - Só um momento por favor, aguarde só um momento,... música ridícula... não é para este número é para o ... série de números... e peça para falar com a D. trlálálá que é a secretária do sr. vereador
Eu- Obrigada bom dia
Eu - Estou sim bom dia é possível falar com a D. Tralálá?
Telefonista - Aguarde um momento por favor... silêncio, sem música ridícula... A D. Tralálá de momento está ao telefone.
Eu - Obrigada então eu tento mais tarde.
mais tarde:
Eu - Estou sim bom dia é possível falar com a D. Tralálá?
Telefonista - É só um momento por favor...silêncio, ausência de música ridícula...Olhe ela continua ao telefone, é a mesma senhora de ainda há pouco?
Eu - Sim sou (dá-me sempre vontade de gargalhar quando me tratam por senhora, mas quando é por D. é pior já é ofensivo)
Telefonista - (embaraço na voz) pois, pois, é assim, pois,...olhe ela já desligou eu vou passar a chamada é só um momento
lá falei com a D. Tralálá e marquei a hora
Dia 15 de Março:
9.30h sair de casa
10.00h blábláblá com o Sr. vereador
10.20 a caminho de casa
Eu tomei a decisão de ir directamente falar com o vereador, para não andar de departamento em departamento a preencher 300 papéis, mas se foram necessários 3 telefonemas para poder falar com o homem durante 20 minutos, quanto tempo terei de esperar para saber uma resposta?

3 comentários:

Sandes de Choco c/mortandela disse...

Fecha-te na casa de banho de um café e faz uma ameaça de bomba! Isso parece que resulta para chamar as atenções. Nem que seja dos media. Mas parece que resulta mesmo!

Sandes de Choco c/mortandela disse...

Olha lá! Porquê tanto tempo que levastes sem escrever por aqui ein?

trambolho ao postigo disse...

No asilo onde estive internada não estávamos autorizados a comunicar com o exterior, mesmo que estivessemos aquelas blusas brancas com as mangas para trás não me permitiríam usar um teclado; sobrava o nariz, mas parece-me ridículo teclar com o nariz, se bem que podia amestrar uma galinha espalhando milho sobre um teclado, oh não estão ali uns senhores para me levar outra vez fghae+origoihqérgi´pxmcv