quarta-feira, 28 de março de 2007

Nos "estates" is not assim...

Nunca me tinha passado pela minha pouco sã cabeça invejar morar nos estates unaidus das Américas, mas parece-me que por lá os gajos resolvem as coisas de uma forma muito mais eficaz.
Ora bolas, depois de um fim-de-semana agoniante em que me armei no mais rude taberneiro imaginei-me a baldar as aulas e dormir que nem um abade, mas não é que uns marmelos se lembraram de arranjar os passeios da minha rua?? A ideia até nem é descabida, mas começar a esburacar ao pé da minha janela as oito da manhã fez-me ter a lúcida sensação que estes estavam muito bem como estavam… Tudo bem que a calçada tinha saltado, havia um buraquito ou outro…melhor, havia um que era o passeio todo…mas para mim estava bom! Para que fazer obras? E aquela hora?
Foi então que invejei morar na terra do tio Sam, onde tudo se resolve de uma forma rápida e inteligente…
Já lá vão dois dias e isto ainda aqui anda, parece-me que há trabalho para uma semana… Já mais de uma vez tive para sair de casa e agarra no martelo pneumático! A rua é pequena, num par de horas acabava com isto…
Lá está o nosso problema de falta de mão-de-obra qualificada…E depois as obras nunca mais têm fim!
Se eles amanhã voltarem acho que vou lá dar uma mãozinha…para acabar com isto de vez!
Claro que se até lá me chegar a casa o carregamento de caçadeiras de canos serrados e de granadas que comprei no ebay será mais rápido, mas com o martelo também vai ser giro!

3 comentários:

dusty disse...

Pois eu compreendo. Houve uma obra de restauração da fachada traseira do meu prédio que durou três semanas. Partir tijoleira, raspar, lavar com esguichos de àgua para as janelas, que faz um barulho tipo avião a descolar. Isto tudo num quarto que faz eco. Houve dias em que saí do banho e tive de me vestir na despensa, porque tinha homens pendurados na minha janela. O pior de tudo foi acordar uma manhã com os gajos a ouvirem The Scorpions, epá a paciência tem limites. Aí estive quase quase para cortar as cordas do andaime suspenso ao Dominic, ao Vladimir mais ao Tóni.

trambolho ao postigo disse...

Bem, não me querendo armar em boa, mas acho que vos ganho:
Desde Setembro que está a ser construída uma escola e um parque nas traseiras do meu prédio, a utilização de máquinas pesadas, camiões e todo o tipo de coisa que faz bip bip bip bip quando recua é coisa diária e os horários vão das 6.30h às 22.00h, e mais a minha mãe para camuflar todo o barulho que vem da rua pôe o seu cd do Tony Carreira em alto som. Já perdi a conta dos dias que acordo a ouvir "Depois de ti mais BIP BIP BIP BIP, o sol e a madrugada BIP BIP"

Jubita disse...

Oh Trambolho isso é de facto um pesadelo, só de imaginar dá-me arrepios e suores quentes... deixa lá se fosse o Toy era pior...