quinta-feira, 15 de março de 2007

Como uma alface

Vou aqui confessar uma coisa da qual não me orgulho muito.

Hoje, um pouco depois da hora de almoço, vi um pouco do novo reality show da TVI: A Bela e o Mestre. Rapidamente o meu cérebro entrou num colapso sem precedentes e entrei em completa paralisia vegetal. Foram 2 a 3 minutos de pânico, medo e choque. Depois disso chorei. Chorei muito. Aliás, não chorava tanto desde domingo passado aquando da refeição em que mordi a minha própria bochecha. É que dói que se farta. Além de ser estúpido. Morder-se a sí próprio faz-me lembrar aqueles cães com ar ridículo a tentar morder a própria cauda mas enfim…

Lembrei-me que faz hoje uma semana que ocorreu o Dia da Mulher. Saí nessa noite um pouco para beber um copito e confraternizar. É fantástico a quantidade dantesca de mulheres embriagadas que encontrei nessa noite. Não via tantas desde o Dia da Mulher do passado ano.

4 comentários:

luali disse...

isso por acaso foi em évora? qd trabahei o ano passado tb fiquei parva pela massa de mulheres juntas numa só noite... assustador

Sandes de Choco c/mortandela disse...

Assustador? Dizes tu! Eu até achei para o sitio assim a modos que.. refrescante?

dusty disse...

Não, assustador mesmo. Passei por vários grupos de mulheres jovens nessa noite que cantavam êxitos do Festival da Canção de 1000 9 e 87 e Jorge Palma. Todas usavam 'tops' decotados e mostravam umas às outras os seus 'dotes'. Parecia uma declaração de liberdade. Acho a coisa deprimente.
Principalmente no que concerne a mulheres jovens. Mas a parte das senhoras de 40 anos sairem à rua para afiambrarem rapazinhos de 20, apoio totalmente. 'Anda cá, anda cá à Titi!!!'

Sandes de Choco c/mortandela disse...

Pois. Uma vez, uma tipa canadiana de cinquenta anos tentou-me afiambrar com uma nota de 50 euros na mão ao que eu disse: Epá! Não! Mas se tiver notas de cem ou 2 de 50...