segunda-feira, 17 de outubro de 2005

Geração bué da fixe

Tenho passado um bocadinho das manhãs a ver os Morangos com Açúcar.
Entre uma dentada na fruta e uma bolacha, mastigo a série que faz sucessonos lares portugueses, agora em dose dupla na TVI. Eu percebo a malta jovem: as férias de Verão já vão longas, a Playstation está racionada e entre asbrasas dos incêndios e as brasas dos Morangos, escolhem as segundas.
A série propriamente dita tem tudo para fazer sucesso, dos 7 aos 77, como o Tintim. Desde logo, o enredo é simples, básico: as gajas e os gajos que secomem ou não se comem, a escolha entre o amor e a carne, técnicas de engate,borgas com sumo de laranja, um cheirinho a putos perdidos na droga, famílias problemáticas com divórcios, madrastas, betos, pais coitadinhos, tudo muitolimpinho e umas cabecinhas de ar a condizer. Ah! Também tem umas criancinhasidiotizadas, de produção bem portuguesa.
Pelo meio, ensinam-se umas quantas coisas politicamente correctas, tipo discurso de Miss Universo sobre a guerra e a paz no mundo. Coisas vagassobre o racismo, o sexo seguro, o respeito à diferença. Ensinam-se tambémcoisas más, como o desenrasca, a deslealdade, a trafulhice, o parecer antes do ser, a desresponsabilização. Ensinam-se tiques, também, palavras giras,tás a ver?
A par dos Morangos, e à custa da passagem pela série, anda também por aí umabanda de jovenzinhos musculados, «bons comó milho», a correr Portugal. A cantar, diz-se. Uma amiga foi ver os D´Zert - é assim o nome do grupo - auma praça de Touros e viu o que julgava impensável: milhares lá dentro,centenas cá fora, os rapazinhos muito profissionais e melosos e as rapariguinhas aos gritinhos, algumas das quais atirando soutiens ecuequinhas. Com papás a ver.
Há uns anos vi uma coisa do género em Vila Real, andava Paulo Portas acorrer o distrito, tentando afirmar-se como líder. O final da jornada foi no salão de uma escola secundária. Quando o então líder do CDS subiu aoimprovisado palco, percebeu duas coisas: ou falava para o boneco ou mandavaa pequenada para a cama. Escolheu a primeira. A assistência eraesmagadoramente constituída por rapariguinhas em êxtase com a expectativa deverem...os Anjos. Quando Paulo Portas percebeu, já estava fora, meu!
Vieram os Anjos e lá voltaram a saltar as cuequinhas e soutiens, atirados de olhar lânguido, por entre peluches e cartas de amor. Estava lá tudo, tipofractura exposta: a puberdade atropelada, a adolescência iriçada. E os papása ver.
Os últimos anos trouxeram-nos o pontapé do Marco, a vitória do simplório Zé Maria, as vaidades e as cirurgias da Lili em directo, os artistas fast-foodda Operação Triunfo, o rústico Avelino elevado a celebridade, o Castelo-Branco suficientemente ambíguo para aberração de circo, Santana Lopes primeiro-ministro, os encornanços ao vivo com sotaque brasileiro eagora...os Morangos. Com Açúcar, pois, que a juventude formada (ou serádeformada?) pela TV, o CD e o DVD só quer provar o lado doce da coisa. Sem pensar nas consequências.
Não sei se já perceberam que, em Portugal, estamos a alimentar os burros apão-de-ló. Um dia, esta geração vai querer que continuem a ser os outros acomer a palha. E aí é que vão ser elas.
Artigo de Opinião da Visão (Miguel Carvalho)

4 comentários:

Sandes de Choco c/mortandela disse...

Concordo 100%. Até fala de coisas das quais eu não ousei falar, tipo cuecas e soutiens voadores!

dusty disse...

Acho mal, acho mal!
Falarem mal da tv de inspiração cristã...
É blasfémia!

axegonadatapada disse...

porra que desilusão
Eu já ia escrever: Avé Fingido e no fim, o artigo não era dele, pá. Oh pá

trambolho ao postigo disse...

num daqueles dias em que tive uma vontade súbita de arrancar os ovários à dentada liguei a televisão e na TVI... é verdade até eu com todas as minhas qualidades caí em tentação...apanhei uma cena de um tipo atarracado, a quem chamam cromo, a fazer um pedido de desculpas a uma gaja tipo modelo com idade para ser minha irmã mais velha, mas que ainda anda no liceu...
comovi-me a pensar na estupidificação do meu país, mas depois animei-me com a ideia de que posso sempre usar esses idiotas para me elegerem a presidente da Junta de Freguesia de Odiáxere essa agora grande vila logo ao lado de Lagos